Categorias
Dica

Não relaxe na higienização do seu carro

Muitas pessoas relaxaram nos cuidados para evitar a transmissão do novo coronavírus. Já são mais de 8 meses desde que a covid-19 começou a preocupar o Brasil, passando por um longo período de quarentena e medo por parte da população. Mas, com o tempo, parte daqueles cuidados necessários acabaram caindo no esquecimento, o que não pode acontecer, afinal, a pandemia não acabou e o vírus segue em circulação no mundo.

Para quem faz uso do carro todos os dias, é necessário manter os cuidados de higienização para que você não leve o coronavírus para casa. Assim como criamos o hábito de limpar as mãos constantemente, as partes que são tocadas no veículo também precisam de atenção.

Tanto do lado de fora, com as maçanetas das portas de entrada e do porta-malas, como no interior do carro, o ideal é higienizar com álcool isopropílico, que não vai danificar partes eletrônicas nem manchar o acabamento do interior. Não esqueça do painel do carro, volante, alavanca de câmbio e freio de mão, maçanetas, cinto de segurança e todos os botões do veículo.

É bom ter o hábito de levar sempre dentro do carro um tubo com álcool em gel para sempre higienizar as mão ao entrar. Dessa forma, você manterá o interior do veículo sempre limpo.

Aquele costume que muita gente tem de colocar as compras do supermercado no assento traseiro eve ser evitado para que as bactérias e vírus que podem estar nas sacolas plásticas não passem para o tecido do banco.

Na JBS, todos os carros do show-room são constantemente higienizados. Além disso, antes de entregar o veículo ao cliente comprador, é feita a oxi-sanitização com ozônio, que elimina vírus, fungos e bactérias do interior do automóvel.

Categorias
Mercado

Carros elétricos registram alta de 257% nas vendas no Brasil em 2021

A eletrificação dos carros no Brasil já é uma realidade. Uma prova disso é que as vendas dos veículos 100% elétricos tiveram um aumento de 257% no ano passado, em comparação com 2020. Segundo levantamento da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) foram 2.860 veículos elétricos vendidos durante todo o ano de 2021, um resultado quase quatro vezes maior que as 801 unidades emplacadas em 2020.

Essa é uma tendência que deve se manter neste ano, uma vez que novos modelos eletrificados estão chegando ao mercado nacional e as estações de recarga estão se espalhando nos grandes centros urbanos.

Outro segmento de carros eletrificados em alta no país é dos híbridos, tanto dos modelos plug-in como os de energia regenerativa. Foram 32.130 emplacamentos no fechamento de 2021, um aumento de 69% sobre o resultado do ano anterior.

Ao todo, foram vendidos 34.990 veículos eletrificados (híbridos + elétricos) no Brasil em 2021, aumento de 77% sobre as 19.745 unidades com esse tipo de propulsão comercializadas no ano anterior. Dessa forma, os eletrificados atingiram 1,8% de participação no mercado geral no ano passado, contra 1,0% em 2020.

Se ao saber dessa tendência de eletrificação dos carros no Brasil você sentiu vontade de colocar um 100% elétrico ou híbrido na garagem, confira o estoque da JBS Motors, onde você encontrará diversos modelos, de várias marcas, como Volvo, Lexus e Toyota.

Categorias
Tecnologia

CES 2022: veja as novas tecnologias que em breve podem estar no seu carro

A maior feira de tecnologia do planeta, a Consumer Electronics Show (CES), mostrou nos últimos dias, em Las Vegas (EUA), as novas tecnologias que em breve veremos em nossas casas, escritórios e, claro, em nossos carros. As grandes montadoras aproveitam o evento anual para lançar e ver a reação do público sobre o futuro de seus automóveis. Vamos ver aqui o que foi apresentado e que mais se destacou na feira encerrada na última sexta-feira.

Carro que muda de cor

A BMW foi uma das marcas que mais aproveitou o público ávido por tecnologia. A montadora bávara surpreendeu ao apresentar um supercarro elétrico que muda de cor ao toque de um botão.

Chamada de E Ink, a tecnologia inovadora permite uma infinidade de personalizações da carroceria. De acordo com a vontade do motorista, por exemplo, é possível ter um carro mais discreto ou esportivo. A pintura da carroceria é composta por milhões de microcápsulas, que tem diâmetro equivalente à espessura de um fio de cabelo humano.

Cada uma dessas microcápsulas contém pigmentos brancos com carga negativa e pigmentos pretos com carga positiva. Dependendo da configuração escolhida, basta um estímulo por meio de um campo elétrico para que os pigmentos brancos ou pretos se acumulem na superfície da microcápsula para dar à carroceria do carro a tonalidade desejada.

Além de servir como possibilidade de personalização, a tecnologia E Ink permite que o carro seja mais eficiente levando-se em consideração as diferentes habilidades das cores claras e escuras quando se trata de refletir a luz do sol e a absorção associada de energia térmica.

Em dias de sol forte, por exemplo, uma carroceria branca reflete melhor a luz do sol, diminuindo o aquecimento do veículo e do habitáculo devido à forte luz solar e às altas temperaturas exteriores. Em climas mais frios, uma superfície externa escura ajudará o veículo a absorver notadamente mais calor do sol.

Cinema sobre rodas

Além do “carro camaleão”, a BMW aproveitou a CES para mostrar uma tecnologia que promete transformar a experiência a bordo com um novo sistema de entretenimento. O My Mode Theatre transforma a parte traseira do interior do veículo em uma sala privativa de cinema com som surround e conectividade 5G graças à BMW Theatre Screen. Nesse ambiente, cada viagem se torna uma experiência de cinema de tirar o fôlego para os passageiros traseiros com um programa personalizado de entretenimento em uma tela de 31 polegadas e resolução de até 8K.

O My Mode Theatre ajusta as diferentes funções do veículo como abaixar a tela de cinema, desligar as luzes internas e abaixar as cortinas para proporcionar aos passageiros um ambiente perfeito para a experiência imersiva única que os aguarda.

A conectividade também é um destaque. O BMW Group fez parceria com a Amazon para oferecer uma ampla gama de entretenimento através do Fire TV, dando aos clientes acesso a grande parte do mesmo conteúdo já existente, apreciado em casa, incluindo filmes e episódios de TV, música e podcasts, tudo enquanto estiver na estrada. O sistema pode ser controlado diretamente por toque na tela ou usando touchpads integrados nas portas traseiras.

Picape 100% elétrica

Depois do sucesso de vendas da F150 Lightning, a picape 100% elétrica da Ford, a Chevrolet se viu forçada a entrar na era da eletrificação dos utilitários e apresentou na CES 2022 a Siverado EV.

Além de um estilo chamativo e futurista, a picape terá nas versões mais caras uma autonomia generosa de 643 km com uma carga nas baterias. Também terá na versão RST um trem de força elétrico com 673 cv de potência e brutais 107 kgfm de torque distribuídos para as quatro rodas.

Na RST, a montadora disponibilizou itens como suspensão a ar automática adaptativa; sistema Multi-Flex Midgate que expande a área de carga ao permitir conectar a caçamba com a cabine; Tampa traseira Multi-Flex; Multimídia com tela de 17 polegadas, painel digital configurável com tela de 11 polegadas e uma tela auxiliar para o motorista tipo head-up display com mais de 14 polegadas.

Equinox ligado na tomada

A Chevrolet aproveitou os holofotes da CES para revelar os primeiros detalhes sobre o Equinox EV. A versão 100% elétrica do conhecido SUV tem estreia programada para 2023, já como linha 2024.

Segundo a marca, o modelo aproveitará a moderna plataforma Ultium (a mesma que sustenta os novos Hummer e a própria Silverado EV). A concepção EV nativa fornece ganhos significativos em dinâmica, performance e eficiência, de modo que atende todos os parâmetros desejados para um carro do tipo.

A Chevrolet adianta ainda que o modelo será um SUV funcional, acessível e que terá preço inicial estimado de US$ 30 mil nos EUA (cerca de R$ 170 mil numa conversão direta ao câmbio atual). A expectativa é oferecer o modelo tanto em versões de frota como para o público sempre, incluindo nos acabamentos LT e RS. Detalhes sobre autonomia não foram revelados, mas estima-se alcance superior a 400 km.

Autonomia gigante

A Mercedes-Benz apresentou virtualmente em paralelo com a CES sua resposta para a frequente pergunta sobre autonomia e eficiência para os modelos elétricos: o carro-conceito VISION EQXX. Conceitualmente uma autonomia excepcional tornará os carros elétricos adequados para todas as situações e a máxima eficiência criará um círculo virtuoso de tamanho da bateria e redução de peso, permitindo ir mais longe com menos. O VISION EQXX é o resultado de uma missão que a Mercedes-Benz se propôs de romper barreiras tecnológicas e de elevar a eficiência energética a novos patamares.

“O Mercedes-Benz VISION EQXX é como imaginamos o futuro dos carros elétricos. Há apenas um ano e meio, iniciamos este projeto que resultou no Mercedes-Benz mais eficiente já construído – com um consumo de energia excepcional de menos de 10 kWh por 100 quilômetros. Possui um alcance de mais de 1.000 quilômetros em uma única carga, usando uma bateria que caberia até em um modelo compacto. O VISION EQXX é um produto avançado em muitas dimensões. Ele destaca o rumo de toda a nossa empresa: vamos construir os automóveis elétricos mais desejados do mundo” diz Ola Källenius, Presidente do Conselho de Administração da Daimler AG e Mercedes-Benz AG.

Em vez de simplesmente aumentar o tamanho da bateria, a equipe multifuncional internacional se concentrou em maximizar a eficiência de longa distância. Eles superaram todas as barreiras em eficiência do sistema de transmissão, densidade de energia, aerodinâmica e design. O VISION EQXX é uma forma empolgante, inspiradora, mas completamente realista de avançar para a tecnologia de veículos elétricos.

Parceria entre gigantes

As gigantes Amazon e Stellantis, que engloba grandes marcas automotivas, como Fiat, Peugeot e Jeep, aproveitaram a CES 2022 para anunciar uma parceria. A quarta maior fabricante de carros do mundo uniu-se à Amazon em uma colaboração que trará até uma nova geração de sistema multimídia.

Stellantis e Amazon irão colaborar para implantar a tecnologia e expertise de software da Amazon em toda a organização Stellantis, incluindo desenvolvimento de veículos, construção de experiências conectadas em veículos e treinamento da próxima geração de engenheiros de software automotivos.

Juntas, as duas companhias criarão um pacote de produtos baseados em softwares que se integram perfeitamente com a vida digital dos clientes e agregam valor ao longo do tempo por meio de atualizações regulares over-the-air (OTA) dos softwares.

Amazon e Stellantis colaborarão para desenvolver software para o STLA SmartCockpit, que funcionará em milhões de veículos da Stellantis globalmente a partir de 2024. A plataforma definida por software se integrará perfeitamente com a vida digital dos clientes para criar experiências personalizadas e intuitivas no veículo por meio de aplicativos aprimorados para entretenimento, assistência de voz habilitada para Alexa, navegação, manutenção de veículos, mercados de comércio eletrônico e serviços de pagamento.

Categorias
Mercado

Veja os 10 lançamentos de carros mais aguardados para 2022

O ano de 2022 promete ser um dos mais movimentados para o mercado automotivo. As montadoras estão retomando a produção normal nas fábricas e os lançamentos que foram adiados devido às consequências da pandemia ganharão as ruas neste ano. Vamos falar um pouco dos 10 carros mais aguardados para 2022, confira:

Novo Kwid

Agora em janeiro o Renault Kwid ganhará uma reestilização no Brasil, quatro anos depois de seu lançamento. O visual será o mesmo do Kwid já vendido em mercados como China e Índia. Na dianteira, o hatch conta com faróis bipartidos e luzes diurnas de led. Por dentro, o novo Kwid vai ganhar novos revestimentos dos bancos e novidades no acabamento. O modelo também deve ganhar um novo volante e um painel de instrumentos digital. Sob o capô, o Kwid deve receber o mesmo 1.0 SCe de 82 cv e 103 Nm que equipa o Sandero e Logan, que oferece comando de válvulas variável. É esperada num segundo momento a chegada já confirmada da versão elétrica do Kwid, que promete ser o mais barato da categoria.

Ford Maverick

O nome é antigo, mas agora Meverick é uma picape que vai ganhar as ruas brasileiras até fevereiro. A Ford Maverick já teve as primeiras unidades desembarcadas em solo brasileiro para eventos de pré-lançamento. A picape será lançada inicialmente na opção Lariat com o pacote off-road FX4. O kit de acessórios acrescenta rodas escurecidas, engate removível, ganchos de reboque aparentes na dianteira, pneus de uso misto e adesivos FX4 nas laterais da caçamba. A picape terá a mesma mecânica do Bronco Sport Wildtrack, com motor 2.0 EcoBoost de 240 cv de potência e 38 kgfm de torque e câmbio automático de 8 marchas, com sistema de tração integral AWD.

Honda City Hatch

O novo City já está sendo vendido na variante sedã e até fevereiro será a vez da versão hatchback ganhar as ruas brasileiras. Ele será o substituto do atual Honda Fit, que deixou de ser produzido no país. Por fora, o modelo conta o mesmo visual da versão sedã até as portas de trás. O novo Honda City hatch terá o mesmo motor 1.5 aspirado flex que estreou no novo City sedã. Ele oferece 126 cv de potência e 155 Nm de torque, e é sempre associado a um câmbio automático do tipo CVT que simula 7 marchas.

Novo Citroën C3

Principal aposta da Citroën neste ano novo, a nova geração do C3 ganhará ares de SUV compacto. Ele será produzido em Porto Real (RJ), e utiliza a plataforma modular CMP, a mesma do Peugeot 208. O novo C3 deverá estrear com o mesmo motor 1.6 EC5 flex de 118 cv do 208. As opções de câmbio serão manual de cinco marchas e automático de seis marchas. No futuro, o modelo poderá utilizar os motores de origem Fiat, com opções dos nacionais 1.0 Firefly aspirado, 1.3 Firefly aspirado e 1.0 GSE T200 (turboflex).

Nova Chevrolet Montana

A nova geração da picape compacta da Chevrolet está prevista para o segundo semestre de 2022. A picape só manterá o nome usado no passado, já que crescerá em tamanho e terá quatro portas para disputar mercado com a Fiat Toro. O esboço divulgado pela GM revelou que as linhas da dianteira e coluna do para-brisa terão traços que remetem ao novo Trailblazer, SUV médio de estrutura monobloco vendido na China nos EUA – totalmente diferente do modelo nacional. A mecânica deverá ser compartilhada com o novo Tracker, que traz opção de motor 1.2 turbo flex de 133/132 cv (E/G) e câmbio automático de seis marchas.

Novo Honda HR-V

A Honda será uma das marcas com mais novidades em 2022. Além do novo City, trará a nova geração do Civic, agora importado e híbrido, e o esperado HR-V. A nova geração do SUV que já foi o mais vendido do país será produzida em Itirapina (SP), junto aos novos City e City Hatch. O modelo nacional deverá seguir o estilo do SUV japonês, embora a marca tenha registrado duas opções de grades para a dianteira. Apesar do capô alongado e da traseira com ares de cupê, o Honda HR-V 2023 manteve o porte do antecessor, com 4.330 mm de comprimento (1 mm extra), 1.790 mm de largura (18 mm a mais), 1.580 mm de altura (70 mm mais baixo) e 2.610 mm de distância entre eixos (mesma medida da segunda geração). Na mecânica, o SUV deverá manter o motor 1.5 turbo de 173 cv da atual versão Touring, com atualização para injeção flex.

Volkswagen Polo e Virtus

A versão brasileira do novo Polo deve acompanhar as mudanças do Polo europeu, que tem visual inspirado na oitava geração do Golf. O mesmo ocorrerá com sua variante sedã, o Virtus. Por dentro, a dupla ganhará o novo volante da marca e painel digital em todas as versões. Sob o capô, eles devem perder o atual motor 1.6 MSI, passando a trazer no lugar o 1.0 TSI com a mesma calibração utilizada no Up, oferecendo 105 cv e 170 Nm. Em relação aos equipamentos de segurança, os novos Polo e Virtus devem ganhar airbags de cortina e controle de cruzeiro adaptativo (ACC) com frenagem autônoma emergencial.

Fiat Argo e Cronos CVT

Dando continuidade à renovação mecânica iniciada pela Strada, agora será a vez dos compactos Argo e Cronos receberem o conjunto com o motor 1.3 aspirado e o câmbio CVT. Os modelos não terão mais a opção do motor 1.8 aspirado de 139 cv e câmbio automático de 6 marchas. Assim como na picape Strada, o conjunto mecânico terá a mesma combinação que estreou no SUV Pulse. O motor é o já conhecido 1.3 Firefly de 107 cv e 134 Nm associado a um câmbio automático do tipo CVT, que simula 7 marchas. Além disso, também são esperados novos equipamentos de conectividade e a inclusão de novos itens de segurança de série, principalmente depois da nota zero no teste do Latin NCAP.

Novo Toyota Yaris

Quem também ganhará um tapa no visual será a dupla de compactos da Toyota. O Yaris hatch e sedã ganharão novidades sobretudo na dianteira, com um novo para-choque e novos faróis de led. Trata-se da mesma reestilização que estreou há 2 anos na Tailândia e no México. Por dentro, o modelo ganhará um novo painel de instrumentos. Sob o capô, o motor 1.3 flex deixa de ser oferecido, enquanto o atual 1.5 deve ganhar modificações para se tornar mais eficiente, tanto no hatch como no sedã. Também são esperados reforços estruturais na carroceria e a inclusão de novos equipamentos de segurança de série, como 7 airbags em todas as versões – que o Yaris atual oferece apenas na versão topo de linha.

BYD Han

Depois de lançar o SUV Tan e marcar sua entrada no Brasil, a gigante chinesa BYD programa para 2022 a chegada do sedã Han no mercado brasileiro. O visual é o grande destaque do novo modelo 100% elétrico, que foi projetado por uma equipe liderada pelo designer ex-Audi Wolfgang Egger. Por dentro, os destaques do BYD Han são o acabamento luxuoso e a central multimídia com tela de 12,8’’ giratória, podendo ser utilizada tanto em orientação vertical como horizontal. O sedã conta com duas configurações, sendo a mais potente delas composta por dois motores elétricos, que oferecem 494 cv e 680 Nm. O alcance varia entre 550 km e 605 km.

Categorias
Mercado

Audi retoma a produção no Brasil. Veja quais modelos serão fabricados no Paraná

A Audi do Brasil confirma a retomada da produção em sua fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, a partir de meados de 2022. Os modelos escolhidos para a linha de montagem brasileira são o Audi Q3 e o Audi Q3 Sportback, ambos com motor 2.0 turbo e a tração quattro.

De acordo com Johannes Roscheck, CEO e Presidente da Audi do Brasil, “estamos muito felizes em anunciar a retomada da produção na fábrica de São José dos Pinhais, a única da marca na América do Sul. Mesmo em um momento desafiador, a empresa sempre trabalhou para viabilizar a fabricação nacional por acreditar no potencial do País e na credibilidade que a marca ganha na visão dos nossos clientes”.

A produção do Audi Q3 com motor 2.0 em suas duas carrocerias será feita em uma linha de montagem exclusiva, a mesma que produziu a geração anterior do SUV até 2019. Os modelos chegarão no porto de Paranaguá divididos em conjuntos de peças e partes vindos da fábrica de Györ, na Hungria, para a montagem em solo brasileiro.

Estratégia de eletrificação

Além da confirmação da produção local, a Audi do Brasil, em conjunto com suas concessionárias, aproveitaram a ocasião para fazer um segundo anúncio, relacionado à estratégia de eletrificação da marca no País: em uma ação inédita, a empresa das quatro argolas e sua rede de distribuidores se uniram para ampliar a infraestrutura de recarga ultrarrápida brasileira.

A partir de 2022, serão investidos mais de R$ 20 milhões para instalar estações de recarga DC de 150kW em quase todas as concessionárias da marca no Brasil. Nestes carregadores, o 100% elétrico Audi e-tron, por exemplo, recarrega a bateria de 0% a 80% em menos de 25 minutos.

Histórico da produção local

A história de fabricação nacional da Audi no Brasil teve início em 1999 com a inauguração da unidade de São José dos Pinhais, no Paraná, onde foram produzidos os Audi A3 de primeira geração nacionais até 2006.

Novo Q3 Sportback será produzido no Brasil

Em 2012 o governo brasileiro instituiu o Inovar-Auto, Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores, e com ele a Audi do Brasil decidiu produzir no País novamente. Para concretizar a decisão, a empresa investiu cerca de 150 milhões de euros, valor próximo de R$ 500 milhões à época, na unidade paranaense.

A produção teve início em 2015 com o A3 Sedan – até hoje o único modelo com motor flex feito pela Audi em todo o mundo – e, em 2016, passou a produzir também o Q3. A fabricação do SUV seguiu até 2019, com o fim do ciclo de vida da geração anterior, enquanto o A3 Sedan foi fabricado até 2020, também com o fim do ciclo de vida da geração.

Após um hiato de pouco mais de um ano, entre fim de 2020 e meados de 2022, a Audi voltará a montar dois modelos na fábrica do Paraná: os novos Audi Q3 e Audi Q3 Sportback.

Audi Q3 e Audi Q3 Sportback brasileiros

Os Audi Q3 e Audi Q3 Sportback nacionais terão o já consagrado motor EA888 2.0 TFSI gasolina de quatro cilindros com injeção direta e turbocompressão, que entrega 340 Nm de torque e potência de 231 cv. Além disso, a produção marcará dois fatos inéditos: será a primeira vez que a Audi montará um modelo com a tração quattro no País e a primeira vez que equipará uma transmissão tiptronic de oito velocidades a um veículo com motor transversal, que proporciona rápidas e confortáveis trocas de marchas.

Desde seu lançamento em fevereiro de 2020 o Audi Q3 virou referência em seu segmento e se tornou o veículo mais vendido da Audi no Brasil já em seu primeiro ano. Ambos incorporam a nova linguagem de design da família Q, apresentada no Brasil com o Audi Q8, modelo completamente novo da marca. Na parte frontal um dos principais destaques é a grade Singleframe com desenho octogonal.

O interior complementa o projeto do exterior e segue a tendência dos modelos topo de linha da marca. Assim como nos A6, A7 e Q8, os novos Audi Q3 trazem como elemento central o novo conceito do MMI com display de 8,8” sensível ao toque integrado ao painel, que é inclinado em 10 graus em direção ao motorista, ergonomicamente bem localizados. O volante com shift paddles é item de série.

Outro destaque é a divisão de espaço altamente variável: os bancos traseiros são corrediços de série e podem ser movidos para frente em 150 milímetros na Q3 e 130 milímetros na Q3 Sportback. E o porta-malas merece um capítulo à parte: tanto o Q3 quanto o Q3 Sportback possuem 530 litros, o maior volume da categoria. Com os encostos totalmente rebatidos, o volume salta para 1.525 litros no Q3 e 1.400 litros no Q3 Sportback.

Novo Q3 nacional terá motor 2.0 TFSI de 231 cv

E você que curte os carros da marca alemã, qual modelos gostaria de ter na garagem? Veja aqui o estoque de carros da Audi no show-room digital da JBS Motors.

Categorias
História

Sabe o que são os Muscle Cars? Conheça um pouco dessas máquinas de acelerar

Poucas categorias de carro conquistaram tanto admiradores pelo mundo como os Muscle Cars. A explicação para tanto desejo é a fórmula imbatível de um supermotor sob o capô, um ronco viciante saindo do escape e o visual robusto, como o próprio nome já remete. Eles nasceram nos Estados Unidos e fizeram muito sucesso principalmente nos anos 1960/1970, mas até hoje inspiram sonhos de consumo de muita gente.

O termo muscle car vem do design forte, “musculoso” desses esportivos. Têm porte médio, grandes propulsores (geralmente V6 ou V8) e podem ter carroceria cupê ou conversível. A tração é preferencialmente traseira. Ou seja, uma combinação de esportividade e força que poucos segmentos conseguem reunir.

Mustang define

Nenhum outro modelo representa tanto a categoria dos muscle cars como o Ford Mustang. O icônico esportivo norte-americano simboliza bem o segmento, tanto que sua história se confunde com a da categoria.

No show-room da JBS Motors você encontra hoje duas versões que retratam o melhor da linha Mustang: um Shelby e um Mach1. Essas duas variantes estão na história da Ford. Nasceram nos anos 1960 e seguem como as mais cobiçadas até hoje.

O Shelby está disponível no show-room da JBS

O Mustang Shelby conversível ano 2010 tem apenas 9.000 km rodados com seu motor V8 de fortes 547 cv de potência. A esportividade é ressaltada pela transmissão manual e pelo ronco inconfundível que sai do escapamento.

Já o Mustang Mach1 que também está no show-room do Pina é 2021 e zero km. Uma raridade para pronta-entrega. Tem motor V8 de 483 cv e transmissão automática de 10 velocidades.

Mach1 no show-room da JBS Motors no Pina

E você, se fosse para escolher um muscle car, qual levaria para sua garagem? Shelby ou Mach1?

Categorias
Supermáquinas

AMG, RS, M e SVR: conheça a divisão esportiva das marcas premium

Se as marcas premium, como Mercedes, Audi, BMW, Jaguar e Land Rover já reúnem uma legião de aficionados, quando falamos da divisão esportiva ou de alta performance de cada uma delas, com seus carros de maior desempenho e toques de exclusividade, os fãs se multiplicam na mesma proporção que aumentam os cavalos de potência sob o capô.

Para identificar as divisões esportivas, basta procurar elementos exclusivos que cada marca entrega em seus modelos. Na Mercedes-Benz, por exemplo, a assinatura AMG está presente nos exemplares mais apimentados da montadora alemã.

A sigla vem do sobrenome de dois ex-funcionários da Mercedes: Hans Werner Aufrecht, Erhard Melcher e da cidade natal de Melcher, Großaspach. Eles fundaram a preparadora de veículos e motores esportivos em 1967 para transformar carros da Mercedes-Benz em modelos de competição.

A parceria oficial entre a montadora e a preparadora começou nos anos 1990 tendo como primeiro projeto fruto da parceria o C 36 AMG, lançado em 1993. Só em 2005 a preparadora foi vinculada definitivamente ao grupo Daimler AG, dona da Mercedes.

A35 AMG impecável no show-room da JBS Motors

Hoje são cerca de 20 diferentes modelos da Mercedes com a assinatura AMG, como o A35 AMG 2021 disponível para pronta-entrega no show-room da JBS Motors. O sedã tem apenas 3.400 km rodados e entrega 306 cv de potência no motor 2.0 turbo e câmbio automático 7G-DCT.

Carro de corrida

Na Audi podemos identificar os carros da divisão esportiva através da assinatura RS, sigla que quer dizer “RennSport” em alemão ou “Racing Sport”, em inglês. Ela foi apresentada oficialmente como divisão esportiva da Audi em 1994, quando a montadora lançou a lendária RS2 Avant, com a ajuda da compatriota Porsche. Nasceu com o DNA dos carros de corrida e de rali (no caso da Audi) das duas montadoras.

Hoje, praticamente todos os modelos da Audi têm uma versão RS, sempre com um motor de maior desempenho, um visual mais agressivo e itens de exclusividade. É o caso do RSQ3 2021/2022 do show-room da JBS Motors que tem apenas 2.060 km rodados.

Audi RSQ3 no show-room da loja 3 da JBS Motors do Pina

O SUV de pegada esportiva e visual arrebatador tira 400 cv de potência de seu motor 2.5 TFSI que permite o modelo a acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos e velocidade máxima de 280 km/h.

BMW: cores da esportividade

Uma letra M e três barras coloridas ao lado: esses detalhes podem fazer uma grande diferença quando estão na grade frontal de um BMW. O M de Motorsport representa a divisão esportiva da marca bávara, sempre com motores muito mais potentes e muitos itens de exclusividades.

Na BMW é possível “transformar” os modelos de linha comum em versões M. Nesse caso, a montadora oferece um kit com equipamentos que dão um toque “M” no visual, como rodas, volante, soleira e até mesmo a logo da divisão esportiva.

Por falar na logomarca, você sabe porque as cores azul, violeta e vermelha estão ao lado do M nos modelos esportivos da BMW? Segundo publicação do Autopapo, os seguintes funcionários da BMW estiveram envolvidos na seleção das cores para o design da divisão de automobilismo da BMW em 1972: Jochen Neerpasch, então diretor de corridas e co-gerente da BMW Motorsport; Wolfgang Seehaus, designer de interiores na época; e Manfred Rennen, então designer exterior. O designer Seehaus fazia parte da equipe e foi ele quem criou as cores BMW M: azul, violeta e vermelho, onde azul remete à BMW, vermelho representa o automobilismo e violeta simboliza a combinação única dos dois.

BMW M5 no show-room da JBS Motors: exclusividade e velocidade

No show-room da JBS Motors você encontra um dos mais cobiçados e velozes modelos da divisão esportiva da marca bávara. O BMW M5 2018/2019 com 19.511 km rodados entrega impressionantes 600 cv de potência com seu motor 4.4 V8 twin turbo e transmissão automática de 8 velocidades.

SVR ou SVO: britânico veloz

Nas marcas irmãs e britânicas Jaguar e Land Rover, a divisão de alta performance se chama Special Vehicle Operatios (SVO), mas que nos carros vira SVR, onde o R representa Racing, agregando esportividade ao departamento.

Um dos modelos mais emblemáticos da divisão esportiva da Jaguar é o F-Pace SVR. O SUV de porte avantajado tem desempenho de carro de corrida com seu motor 5.0 V8 Supercharged AWD de fortes 550 cv de potência e brutais 69,3 kgfm de torque. Com isso, o gigante consegue acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4,6 segundos.

Esportividade pura e bruta: F-Pace SVR da JBS Motors

No show-room da JBS Motors tem um exclusivo e disputado exemplar do F-Pace SVR 2020 para pronta-entrega com apenas 9.990 km rodados e transmissão automática de oito velocidades. O Modelo tem garantia de fábrica até novembro de 2022.

Cavalaria pesada: conheça os modelos esportivos no show-room da JBS Motors
Categorias
Supermáquinas

Porsche Panamera 4S E-Hybrid reúne esportividade e eficiência energética

Luxo, desempenho e eficiência: junte tudo isso com a grife inconfundível da Porsche e você chegará ao Panamera E-Hybrid. O sedã alemão é considerado uma obra de arte devido ao design ousado e esportivo, mas que mantém a identidade da tradicional marca de Stuttgart. O show-room da JBS Motors acaba de receber mais uma unidade dessa exclusividade (veja aqui), uma oportunidade para quem não quer esperar meses para receber o seu. O modelo 2021 tem apenas 500 km rodados e está disponível para pronta-entrega.

O Panamera 4S E-Hybrid tem uma potência combinada de 560 cv. No epicentro da arquitetura do sistema de propulsão de todos os modelos Panamera híbridos está o motor elétrico, integrado na transmissão de dupla embraiagem (PDK) de oito velocidades, que dispõe de uma potência de 100 kW (136 cv) e entrega 400 Nm de torque. A união com o motor V6 proporciona um desempenho único. Com isso, o torque total é de 750 Nm, proporcionando uma aceleração 0 a 100 km/h em apenas 3,7 segundos e velocidade máxima de 280 km/h.

Mais energia

A capacidade bruta da bateria de alta voltagem passou de 14,1 para 17,9 kWh através de células otimizadas, enquanto os modos de condução foram adaptados visando uma utilização ainda mais eficaz da energia. O Panamera 4S E-Hybrid tem uma autonomia de até 54 km em modo exclusivamente elétrico, em conformidade com as normas WLTP EAER City (NEDC: até 64 km),

Os modelos híbridos plug-in da Porsche devem preferencialmente ser carregados em casa – numa tomada doméstica convencional ou numa tomada de alta voltagem. O Porsche Mobile Charger assegura uma potência de carregamento de até 7,2 kW em função do modelo específico. Além disso, o veículo pode ser carregado com o cabo Mode 3 em pontos de carregamento públicos, como o que a JBS Motors oferece a seus clientes.

Luxo e tecnologia

O acabamento na cabine do Panamera é puro refinamento. Couro de alta qualidade por todos os cantos garante o conforto para o quatro passageiros. Os que vão no banco de trás ainda contam com uma central de comando para ajustes dos bancos, ar-condicionado e muito mais.

O Porsche Communication Management (PCM), com resolução superior do visor, inclui funções e serviços digitais adicionais, como o melhorado comando de voz online Voice Pilot, o Risk Radar, para informações sobre sinais de trânsito e perigos, o Apple CarPlay sem fios e muitos outros serviços de conectividade.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o Porsche Panamera, visite o nosso show-room digital e escolha seu próximo carro.

Categorias
Mercado

Carros esportivos em alta: veja quais os mais vendidos no ano

Bons ventos para o setor do mercado automotivo que faz parte dos sonhos da maioria das pessoas. A venda de carros esportivos no acumulado de janeiro a outubro deste ano já supera a comercialização de todo o ano passado.

Enquanto em 2020 foram emplacados 2.180 modelos dessa categoria, nos primeiros 10 meses de 2021 já foram vendidos 2.753, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Porsche 718 Boxster para pronta-entrega no show-room da JBS Motors

Essa alta significativa gerou uma longa fila de espera nas revendas de esportivos 0 km, tendo modelos com até mais de 6 meses de prazo para chegar à garagem dos futuros donos.

Essa demora fez crescer a procura pelos seminovos dessa categoria, o que foi sentido nas unidades da JBS Motors, que tem a vantagem da pronta-entrega que pode ser feita em todo o país. (Veja aqui o estoque atual da JBS Motors em nosso show-room virtual)

Voltando aos dados da Fenabrave, os esportivos mais vendidos neste ano são: Porsche 911 com 814 unidades vendidas; BMW Z4 (372); Ford Mustang (346); Porsche Taycan (342); Porsche Boxster (201); Porsche Cayman (110); BMW M3 (107); Jaguar F-Type (88) e Audi TT (75).

Audi RSQ8 é um superesportivo de 600cv que está no show-room da JBS Motors
Categorias
Eventos pelo mundo

Veja os carros que se destacam no Salão de Los Angeles

O Salão de Los Angeles (L.A Auto Show) foi aberto ao público nesta sexta-feira (19) e até o domingo (28) vai exibir o que é tendência no mercado automotivo mundial. O jornalista Jorge Moraes participa da cobertura do evento na Califórnia e manda de lá o que viu como destaque, como, por exemplo, modelos que em breve estarão nas ruas brasileiras. Confira a seleção de máquinas e não esqueça também de dar uma passada em nosso show-room digital.

Desfile da Porsche

A Porsche trouxe cinco belas novidades aos EUA. Com motores a propulsão, híbridos e elétricos, a marca alemã exibe o novo 718 Cayman GT4 RS – principal destaque -, além dos 718 Cayman GT4 RS Clubsport, Taycan GTS, Taycan GTS Sport Turismo e Panamera Platinum Edition. O 718 Cayman GT4 RS tem 500 cv de potência e vai de 0 a 100 km/h em apenas 3,4 segundos e velocidade máxima de 315 km/h.

Novas picapes da Ford

A Ford em Los Angeles aposta na sua mais nova picape, a Maverick. A novidade tem como destaque principal o seu motor 2.0 EcoBoost com tração integral AWD e transmissão automática de oito velocidades. O modelo chega no mercado brasileiro no primeiro trimestre do próximo e ano e será lançado na versão Lariat FX4, com uma pegada mais off-road e equipamentos exclusivos para os fãs de aventuras, mas que ainda assim precisam enfrentar o trânsito dos centros urbanos. A montadora também coloca em cena a F-150 100% elétrica. A picape Lightning (foto acima) acredito que seja o elétrico mais relevante da exposição.

Toyota BZ4X

A Toyota trouxe para os EUA o novo BZ4X, protótipo de seu modelo eletrificado com a tecnologia BEV que está pronto. Com uma nova pegada focada na neutralidade de carbono, a japonesa está investindo nos modelos com motorização verde. Apresentado pela primeira vez no começo de 2021 ainda como protótipo na China, o BZ4X começa a chegar nos Estados Unidos ainda este mês, na Europa em dezembro e até maio de 2022 nos demais países como Japão e China.

Nissan Ariya

Com vendas já iniciadas nos Estados Unidos e com expectativa de chegar ao mercado brasileiro, o Nissan Ariya aparece com destaque no evento da Califórnia. O SUV elétrico possui quatro versões de acabamento com um único motor localizado na dianteira. Com 217 cavalos de potência e 30,5 kgfm de torque, a bateria possui 87 kWh e todo o conjunto alcança uma autonomia de até 482 km.

Land Rover Range Rover 2023

Depois do lançamento oficial, a nova geração do Range Rover faz sua primeira aparição durante o Salão do Automóvel de Los Angeles. O SUV recebeu uma atualização em referência aos seus 50 anos e por isso a montadora não economizou nos itens luxuosos, além de modernidade e novas motorizações. A princípio, o modelo chegará na versão especial First Edition, baseada na edição Autobiography com pintura SV Bespoke e acabamento Sunset Gold Satin, e uma autonomia de 100 km sem gasolina.

Kia Sportage

Depois da versão a combustão, a Kia trouxe a L.A o novo Sportage híbrido. O modelo, com novo design, foi confirmado para o mercado nacional na metade do próximo ano e possui uma autonomia de causar inveja, na faixa dos 805 quilômetros na mistura das forças. A opção a combustão no híbrido é um 1.6 turbo de quatro cilindros, associado a um propulsor elétrico de 44 kW abastecido por um conjunto de baterias de 1.5 kWh. Juntando os dois motores, a potência sobe fica em 226 cavalos. Segundo a montadora, o consumo do veículo é de 16,5 km/litro.

Chevrolet Corvette Z06

No estande da Chevrolet, um modelo que rouba a cena é o esportivo Corvette Z06 2023. O esportivo ganhou design mais forte com um motor 5.5 V8 aspirado de 680 cv e 623 Nm de torque. Ele estará disponível no mercado norte-americano apenas no próximo ano.

Grand Cherokee 4xe

Disponível nos Estados Unidos e em breve no Brasil, o novo Grand Cherokee 4xe eletrificado é outra novidade em Los Angeles. A motorização híbrida plug-in conta com 375 cavalos de potência e 637 Nm de torque. Com uma autonomia estimada em 40 km no modo elétrico, o consumo é de até 24,2 km/l com uma autonomia combinada de 708 km.

Subaru Solterra

Primeiro SUV totalmente elétrico da Subaru, o Solterra é um dos modelos que está programado para chegar ao mercado global apenas no próximo ano, a novidade mira, principalmente, no ID.4 da Volkswagen. O projeto foi desenvolvido em conjunto com o Toyota bZ4X.

EdisonFuture EF1-T

A empresa EdisonFuture levou o futuro elétrico para Los Angeles. Um dos destaques é a picape conceito EF1-T que possui uma recarga através de painéis solares. A fabricante diz que o veículo foi pensado para trabalho, viagens, família ou uso pessoal em diversas condições de estrada e ambiente, desde o uso urbano até no off-road. Para obter mais captação solar, um painel integrado como um grande spoiler pode ser puxado por cima da caçamba.

Categorias
História

Carro conversível é sinônimo de glamour e liberdade. Mas quando eles surgiram?

Charme, elegância e esportividade: os carros conversíveis conseguem reunir muitos aspectos subjetivos que vão além do design. Dirigir com os “cabelos ao vento” ou ter o céu estrelado como teto infinito do seu automóvel são sensações que só os “capotas abertas” podem passar. Mas você sabe quando surgiram os carros conversíveis?

Show-room da unidade 3 do Pina da JBS Motors só com carros conversíveis

Pouca gente sabe ou lembra, mas os automóveis nasceram conversíveis. Por isso, a história desse tipo de carroceria se confunde com a trajetória do automóvel no mundo. Essa origem tem inspiração em um tipo de carruagem francesa do século 19 chamada de Cabriolet – nomenclatura que ainda remete ao conversível nos dias de hoje, principalmente na Europa.

Em 1886, o alemão Karl Benz apresentava ao mundo o que é amplamente reconhecido como o primeiro automóvel que se movia através de motores a combustão interna, o Motorwagen. Ele possuía 3 rodas e era baseado nas carruagens sem teto.

Modelo de patente do Motorwagen, considerado o primeiro automóvel com motor a combustão

Os conversíveis dominaram o restrito mercado automotivo até 1910, quando a Cadillac apresentou o primeiro automóvel fechado, o que gerou uma reviravolta na indústria. A evolução foi rápida e os conversíveis só voltaram a chamar a atenção em 1934 quando a Peugeot lançou o chamado 402 Eclipse Décapotable, o primeiro carro conversível que possuía um teto rígido elétrico, porém, mesmo assim, os fechados assumiram o mercado.

Coube ao cenário norte-americano, entre os anos 1950 e 1960, resgatar o glamour dos conversíveis. Muito disso se deve à presença dos carros “sem teto” em filmes e séries de grande sucesso nos Estados Unidos. Desde então, o conversível carrega esse status de elegância e liberdade, que nenhuma outra carroceria consegue passar.

Show-room exclusivo

Para os que curtem a liberdade e elegância dos carros conversíveis, a JBS Motors preparou um show-room inteiro só com modelos de capotas abertas. O palco foi a nova loja do Pina (fotos abaixo) e nele temos exemplares que transmitem tudo o que um conversível pode passar, mas com ênfase na esportividade.

Um grande representante dessa turma é o icônico Mustang Shelby GT 500 ano 2010. O muscle car norte-americano vem de uma geração de esportivos que brilharam nas pistas e nas telas de cinema, mas tem as versões de capota aberta como as mais cobiçadas.

Outro conversível desse show-room especial que tem uma legião de admiradores é o Porsche 718, que nas carrocerias sem teto usa a assinatura Boxster, nome composto por “Boxer” e “Roadster”. O alemão transpira esportividade e tem muita agilidade, graças ao conceito do motor central, 2 bancos, 2 porta-malas, a “flyline” típica, motor boxer com centro de gravidade baixo e reação instantânea.

Veja no site da JBS Motors todos os carros de nosso show-room e encontre o modelo que se encaixa nos seus sonhos. Seja com teto ou de capota aberta.

* Foram fontes para este artigo:

Conversíveis modelos arrojados que fazem história

Qual foi o primeiro carro conversível?

https://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal