Categorias
Dica

Não relaxe na higienização do seu carro

Muitas pessoas relaxaram nos cuidados para evitar a transmissão do novo coronavírus. Já são mais de 8 meses desde que a covid-19 começou a preocupar o Brasil, passando por um longo período de quarentena e medo por parte da população. Mas, com o tempo, parte daqueles cuidados necessários acabaram caindo no esquecimento, o que não pode acontecer, afinal, a pandemia não acabou e o vírus segue em circulação no mundo.

Para quem faz uso do carro todos os dias, é necessário manter os cuidados de higienização para que você não leve o coronavírus para casa. Assim como criamos o hábito de limpar as mãos constantemente, as partes que são tocadas no veículo também precisam de atenção.

Tanto do lado de fora, com as maçanetas das portas de entrada e do porta-malas, como no interior do carro, o ideal é higienizar com álcool isopropílico, que não vai danificar partes eletrônicas nem manchar o acabamento do interior. Não esqueça do painel do carro, volante, alavanca de câmbio e freio de mão, maçanetas, cinto de segurança e todos os botões do veículo.

É bom ter o hábito de levar sempre dentro do carro um tubo com álcool em gel para sempre higienizar as mão ao entrar. Dessa forma, você manterá o interior do veículo sempre limpo.

Aquele costume que muita gente tem de colocar as compras do supermercado no assento traseiro eve ser evitado para que as bactérias e vírus que podem estar nas sacolas plásticas não passem para o tecido do banco.

Na JBS, todos os carros do show-room são constantemente higienizados. Além disso, antes de entregar o veículo ao cliente comprador, é feita a oxi-sanitização com ozônio, que elimina vírus, fungos e bactérias do interior do automóvel.

Categorias
Mercado

Venda de picapes em alta: veja quais os modelos mais emplacados

Cada vez mais tecnológicas e confortáveis, as picapes estão invadindo as cidades e estão com vendas em alta no Brasil. Praticamente todas as montadas apresentaram novidades nesse segmento que consegue crescer, mesmo com a preferência evidente dos brasileiros pelos SUVs. Os números de emplacamentos no primeiro semestre deste ano comprovam isso.

+ No estoque da JBS você encontra picapes de todas os tamanhos e marcas

De acordo com os números oficiais da Fenabrave, em junho foram emplacadas 34.065 unidades – somadas as representantes das quatro categorias -, 3,6% a mais do que há um ano (32.870). Em relação a maio (35.809), no entanto, houve uma retração de quase 5%. A evolução discreta nos últimos doze meses tem relação direta com as picapes pequenas.

Únicas representantes, Fiat Strada (7.551) e VW Saveiro (3.182) tiveram seus piores resultados em 2024, com retrações de pelo menos 16% no período. Já entre os modelos intermediários, liderado pela Fiat Toro (4.780), apenas a Chevrolet Montana (2.349) vendeu menos do que em 2023. Embora última colocada, a Ford Maverick (323) registrou seu melhor desempenho desde o lançamento.

Entre as picapes médias, o grande destaque foi a Ranger: com 3.026 emplacamentos, mais do que o dobro de 2023, a representante da Ford conquistou seu novo recorde de vendas e reduziu um pouco a sua desvantagem em relação à líder Toyota Hilux (3.895). O desempenho também fez com que ultrapassasse a Chevrolet S10 (2.197) no acumulado de 2024.

Numa disputa acirradíssima pela 4ª posição, Nissan Frontier e Mitsubishi L200 ficaram separadas por apenas seis unidades (788 x 782), ambas com retração nos últimos doze meses. Ainda sob impacto da greve do Ibama, que tem prejudicado a distribuição para concessionárias, a Fiat Titano emplacou apenas 677 unidades. Será interessante acompanhar nos próximos meses o real potencial da 1ª picape deste porte da marca italiana.

Na faixa de cima, a RAM emplacou as quatro primeiras colocadas, com a 1500 (265) à frente – apenas a 3500 (169) teve queda nas vendas frente a 2023. Chevrolet Silverado (68) e Ford F150 (41), ambas com números em queda nas últimas semanas, vieram na sequência. Após um 1º trimestre com vendas expressivas fruto da redução de preço, a Jeep Gladiator (2) despencou.

* Com informações da Fenabrave e Motor1

Categorias
Mercado

Carros eletrificados têm alta de 146% no primeiro semestre

Os carros eletrificados caíram no gosto do brasileiro e registram, mês após mês, fortes altas nas vendas. O primeiro semestre de 2024 encerrou com alta de 146% no número de veículos eletrificados. Foram 79.304 veículos eletrificados vendidos no Brasil entre janeiro e junho de 2024.

Esse total representa um aumento expressivo de 146% sobre os 32.239 do primeiro semestre de 2023 e de 288% sobre os 20.427 do primeiro semestre de 2022.

+ Na JBS você encontra todos os tipo de carros eletrificados do mercado. Confira aqui.

Para a Associação Brasileiro do Veículo Elétrico (ABVE) os números atestam o momento exuberante da eletromobilidade no Brasil e confirmam a previsão da ABVE de que 2024 terminará com um novo recorde de mais de 150 mil veículos eletrificados vendidos no ano, o que significaria um crescimento em torno de 60% sobre os 93.927 de 2023.

Só em junho, os 14.396 veículos emplacados representaram um aumento de 131% sobre junho de 2023 (6.225) e de 253% sobre junho de 2022 (4.073).

Com o resultado do primeiro semestre, o Brasil praticamente já chegou à marca simbólica de 300 mil eletrificados em circulação no país desde 2012 (início da série histórica da ABVE).

Os eletrificados incluem todas as tecnologias: BEV 100% elétricos, PHEV híbridos elétricos plug-in, HEV flex e a gasolina (não plug-in) e os micro-híbridos MHEV, com baixo grau de eletrificação.

De janeiro a junho de 2024, os BEV representaram 39% dos emplacamentos de eletrificados no país (31.204). Os PHEV, veículos elétricos híbridos que também têm recarga externa, responderam por 29,5% (23.296).

Os veículos plug-in, portanto (BEV + PHEV), somaram nada menos do que 69% do mercado de eletrificados leves no período no Brasil.

Já os HEV convencionais (elétricos não plug-in a gasolina ou diesel) ficaram com 9,3% das vendas no primeiro semestre (7.394). Os HEV flex a etanol, com 14% (10.987). E os micro-híbridos MHEV, com 8% (6.423).

Confira o total de carros eletrificados vendidos no primeiro semestre:

BEV: 31.204 (39%)
PHEV: 23.296 (29,5%)
HEV: 14.381 (18,3%)
MHEV: 6.423 (8%
)

Total: 79.304 (100%)

Fonte: ABEV

Categorias
Supermáquinas

Ferrari inaugura fábrica para produzir carros elétricos

Antes de tudo é bom deixar bem claro: a Ferrari não pretende abandonar os motores a combustão. Dito isso, podemos cravar que a icônica montadora italiana terá no futuro próximo, veículos elétricos e híbridos juntos aos modelos que tanto nos empolgam, “cada um desses motores é capaz de garantir as emoções de direção típicas de uma Ferrari”, ressaltou a Ferrari.

+ Na JBS você encontra o carro dos sonhos, seja elétrico, híbrido ou a combustão. Veja aqui!

E para tirar do papel a primeira Ferrari elétrica, a montadora inaugurou um novo edifício em Maranello (ITA). Trata-se de uma nova fábrica para uma nova abordagem de produção, que foi inaugurada na presença do Presidente da República Italiana Sergio Mattarella, e que entrará em operação gradualmente até o final do ano. O Motor1 conheceu o local e o blog reproduz o que eles viram por lá.

Um retângulo de 25 metros de altura que ocupa uma área de 42.000 metros quadrados e para sua construção foram investidos cerca de 200 milhões de euros. Deixando os números de lado, a nova fábrica se enquadra na definição de Fábrica 4.0 – automatizada, digitalizada e eficiente.

Muitas fábricas novas classificadas dessa forma estão sendo construídas no mundo automotivo, mas o projeto do chamado “e-building” da Ferrari é único, pois estamos falando de uma fábrica capaz de montar qualquer modelo da linha da empresa. Esse último detalhe não é insignificante, principalmente se considerarmos que estamos falando de carros especiais, produzidos em séries limitadas e caracterizados por um nível muito alto de personalização do cliente.

A digitalização total dos processos abre, portanto, novas oportunidades para a Ferrari otimizar a produção, o que deve favorecer a qualidade, a flexibilidade e, portanto, a velocidade de desenvolvimento de novos modelos, dependendo da demanda do cliente e da evolução do processo de transição tecnológica.

E, desse ponto de vista, um dos aspectos mais inovadores é o fato de que, dentro da e-bulding, será possível produzir qualquer modelo da linha Ferrari, da 296 à V12Cilindri, passando pelo SUV Purosangue e pelo Roma e, em seguida, pela futura Ferrari elétrica.

O e-building também inclui um espaço dedicado ao treinamento de funcionários em vista da eletrificação da marca, com foco em motores elétricos, química e processos de baterias, como a montagem. Será o resultado de treinamentos que a Ferrari vem ministrando com os atuais funcionários há dois anos.

A primeira Ferrari elétrica

Como mencionado, o primeiro modelo elétrico da Ferrari será produzido no e-building a partir de 2025. Ainda não se sabe nada oficial em termos de especificações técnicas, mas um aspecto interessante da estratégia de produção foi antecipado: os componentes fundamentais, como o motor (rotor e estator), as baterias de alta-tensão e o eixo serão construídos lá.

A planta inteira terá emissão zero de poluentes. Este é um dos objetivos da Ferrari com a nova linha de montagem. A fábrica atingirá a autossuficiência energética total no próximo ano graças à instalação de 3.000 painéis solares com uma potência total de 1,3 mega-Watts.

A mesma área onde está localizada a nova fábrica foi reformada sem adição de terra, substituindo estruturas industriais antigas, obsoletas e altamente dispersivas em energia, em uma operação que afetou cerca de 100.000 metros quadrados. Os arredores da fábrica serão acessados também por uma estrada de serviço ou por uma ciclovia de 1,5 km.

*Com informações do Motor1

Categorias
Mercado

Polestar no Brasil em 2025: o alto padrão elétrico terá novo player

O mercado brasileiro tem atraído os olhares de muitos fabricantes de toda a parte do mundo. Já falamos aqui no blog que muitas marcas chinesas estão desembarcando e tantas outras chegarão até o final de 2025. Dessa vez foi a sueca Polestar, que pertence ao grupo Volvo/Geely, que confirmou que venderá seus carros futuristas em nosso mercado.

+ Na JBS você tem o mais alto padrão automotivo e sem fila de espera. Veja aqui!

Sediada em Gotemburgo, a fabricante vem ganhando espaço no cenário internacional pela comercialização de EVs premium e com pegada esportiva. A chegada ao mercado brasileiro era bastante especulada e foi confirmada em comunicado.

A Polestar explicou em nota que a estreia no Brasil faz parte de ambiciono projeto internacional de expansão e que outros novos mercados também serão alcançados, incluindo França, República Checa, Eslováquia, Hungria, Polônia e Tailândia. Atualmente, a empresa atua em 27 mercados globais espalhados por América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico.

A marca explica que atuará no Brasil e nos demais países estreantes através de parcerias com distribuidores locais. “Expandir as nossas operações com parceiros novos e já existentes nos permitirá alcançar mais clientes. Através destas parcerias e expansão, capitalizaremos a nossa marca e a nossa crescente linha de modelos”, disse Thomas Ingenlath, CEO da Polestar.

O lançamento mais recente da Polestar é o modelo Polestar 4, que fica posicionado entre o sedã Polestar 2 e o maior Polestar 3. O crossover elétrico está disponível em layouts de motor único e duplo, sendo a versão mais potente capaz de produzir 551 cv e 69,9 kgfm de torque máximo. A autonomia chega aos 600 km. Já a configuração de motor único entrega 276 cv e 34,9 kgfm de torque, com alcance declarado de 483 km.

No design, o modelo chama atenção pela ausência da tradicional janela de vidro na traseira. No lugar do vidro, a estrutura da própria carroceria se estende até alcançar o teto, que é feito de vidro fotocrômico. Para não comprometer a visibilidade e, consequentemente, a segurança, a Polestar instalou uma câmera de alta definição no teto que transmite imagens da traseira em tela no painel, tudo em tempo real.

A montadora não deu nenhuma pista de quais modelos serão comercializados no Brasil. Lá fora, os carros da Polestar rivalizam com veículos da Tesla, BMW e Porsche.

Com informações da Polestar e do Motor1

Categorias
Eventos

Retorno do Salão do Automóvel de São Paulo é confirmado pela Anfavea

Os apaixonados por carros no Brasil pediam e a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) atendeu: o maior evento automotivo da América Latina está de volta. O Salão do Automóvel de São Paulo voltará ser realizado, e pode ser ainda neste ano. É o que garantiu Márcio Leite, presidente da Anfavea em entrevista à Rádio Bandeirantes.

+ O show-room dos sonhos da JBS é um verdadeiro “Salão do Automóvel”. Confira aqui.

O Salão do Automóvel não acontece desde 2018 e, segundo Leite, a volta está programada para novembro deste ano ou março de 2025. “Estamos trabalhando uma data, será em São Paulo e será um grande Salão em termos de tecnologia e produtos”, disse o presidente.

“O Brasil precisa retomar o Salão e mostrar as tecnologias que temos para exportação. […] O que nós temos no Brasil e os planos futuros e utilização de biocombustíveis”, acrescentou.

Último Salão do Automóvel de São Paulo foi realizado em 2018. Fotos: Divulgação

Vale lembrar que em abril deste ano, Márcio Leite já comentava sobre a volta da exposição. Durante a inauguração do novo prédio Anfavea, ele falou sobre a volta do Salão do Automóvel.

“Estamos avaliando questões de espaço e logística, mas o salão do automóvel vai acontecer. Não temos data ainda definida, mas, sem dúvida, é uma cobrança legítima do presidente [Lula], nós precisamos ter ousadia para expor as nossas tecnologias para os consumidores e também para o mundo de uma forma geral”, ressaltou na época.

Salão de 2018
A 30ª edição recebeu cerca de 700 mil pessoas e contou com exposição de mais de 20 fabricantes. Durante os 11 dias do SDA, houve palestras sobre os carros eletrificados, carros conectados e mais.

Segundo a organização do evento, em 2018, houve 66 lançamentos, 1.200 atividades interativas e 45 mil test-drives realizados na área externa do evento.

Categorias
Mercado

Segundo semestre promete: veja os lançamentos que chegam por aqui ainda neste ano

O segundo semestre de 2024 está batendo à porta e com ele chegarão muitas novidades em nosso mercado automotivo. Tem carro para todo tipo de gosto e estilo, mas claro que os eletrificados vão predominar entre os lançamentos.

+ Não quer esperar pelos lançamentos? Veja o estoque da JBS e compre a pronta-entrega

Muitas dessas novidades fazem parte dos investimentos bilionários que as montadoras anunciaram para o Brasil já para este ano. A Volkswagen, por exemplo, anunciou aporte de R$ 16 bilhões e vai lançar 16 carros no país. Entre eles, a Amarok na festa do Peão de Barretos, em agosto. O Grupo Stellantis vai aportar R$ 30 bilhões e além disso, novas fábricas surgiram, como a BYD, em Camaçari (BA), GWM em Iracemápolis e Omoda|Jaecoo provavelmente em São Paulo também.

Confira abaixo os principais lançamentos programados para a segunda metade deste ano no Brasil:

BYD King

O sedã King está no estoque da firma e será lançado logo em seguida ao Song Pro, que estará nas lojas no dia 15 deste mês. Ou seja, o King deve estrear no início de julho. Com o mesmo powertrain do Song, o modelo vai entregar autonomia garantida pela bateria de 18,3 kW/h os 100 km no topo da gama. Em termos de força mecânica, está equipado com um sistema híbrido plug-in DM-i composto por um motor 1.5 litro aspirado e um motor de acionamento síncrono de ímã permanente.

Citroën Basalt

O SUV apoiará o crescimento internacional da Citroën ao lado do C3 e do Aircross. O Basalt será produzido na América do Sul e chega ao mercado ainda este ano nos principais mercados da marca. O SUV terá o mesmo conjunto mecânico de diversos modelos da Stellantis, com o conhecido motor 1.0 turboflex de 130 cv e câmbio CVT.

Amarok V6

A linha 2025 da Volkswagen Amarok com visual repaginado, mas distante da nova geração da picape, que estreou no exterior com base na Ford Ranger, já tem data e local para ser revelada no Brasil. A reestilização da picape da VW vai aparecer na Festa do Peão de Barretos, cuja edição de 2024 acontece entre 15 e 25 de agosto no município do interior paulista. O conjunto mecânico, no entanto, deve permanecer igual e nem precisaria mudar, assim como o jogo do 4X4. Seguirá com o 3.0 V6 turbodiesel de 258 cv e 59,1 kgfm. A transmissão se mantém automática de 8 marchas e a tração integral 4Motion.

Kia EV9

O SUV elétrico chegou para disputar o restrito segmento dos elétricos de sete lugares. Hoje, o BYD TAN é o único do mercado. O carro chegará às lojas entre julho e agosto.

Kia EV5

O EV5 é um SUV elétrico para cinco passageiros que foi apresentado nos Salões de Chengdu e Pequim, na China, e chega com o EV9 ao Brasil. Ele vem ao lado do primo maior, que foi eleito o melhor carro do mundo em 2024 pela World Car Awards. Terceiro produto da plataforma E-GMP, o EV5 tem dimensões de 4,61 m de comprimento, 1,87 m de largura e 1,71 m de altura. O entre-eixos é de 2,75 m. As medidas são próximas às de um Toyota RAV4. O porta-malas tem 513 litros de capacidade. Serão três versões.

GWM Tank 400

O Tank 400 será a maior novidade do ano da GWM no Brasil. Depois dele, o modelo 300, mais rústico, dará continuidade ao ingresso no mundo do 4X4 mais radical. O GWM Tank 400 foi disputadíssimo durante o teste da frota global de carros na sede da Haval, na China. O utilitário híbrido com 408 cv de potência e 76,5 kgfm de torque da aula de suspensão sob chassis. O câmbio é automático de 9 velocidades com opção de tração 4×4 com reduzida. Apesar de ser grande, com 4,98 metros de comprimento, ele acelera de 0-100 km/h em 6,9 segundos. Um canhão com 2.0 de motorização mais dois elétricos.

BYD Yuan Pro e Shark

O lançamento também é aguardado para o 2° semestre mas a BYD poderá adiar para o começo de 2025. Só lembrando que tem a picape Shark em setembro e será mais um modelo híbrido da marca. Ao contrário do Yuan que é do tipo BEV. Na Ásia, o carro tem versão a partir de 95 cv (mesma do Dolphin). Porém, para o Brasil, deve vir a configuração mais cara com 177 cv. A autonomia das baterias ficará em torno dos 400 km.

Hyundai Palisade

O SUV de 8 lugares Palisade já está confirmado. Além deste, o modelo 100% elétrico Hyundai Ioniq 5 é outro carro que também virá ao Brasil. Na configuração importada para o Brasil, será o único SUV de 8 lugares no mercado. Com design robusto, traz interior que preza pela sensação de relaxamento e conforto, com recursos premium como o Ergo Motion Seat, que massageia e ajusta a postura do condutor, e o Remote Smart Parking Drive, com o qual é possível manobrar o carro em espaços apertados estando fora do veículo.

Hyundai Ioniq 5

Veículo mais premiado da Hyundai no mundo em tempos recentes. O Ioniq 5 estabelece a referência da marca sul-coreana para redefinir o estilo de vida moderno, através da mobilidade elétrica, com recursos sustentáveis e inovadores. Em 2022, foi eleito, entre outras premiações, como o “Carro Mundial do Ano”, o “Carro Elétrico Mundial do Ano” e o “Melhor Design de Carro Mundial do Ano”. Construído sob a plataforma global de veículos elétricos da Hyundai E-GMP, possui carregamento ultrarrápido e sistema Vehicle-to-Load (V2L), que permite funcionar, por exemplo, outros dispositivos de uso doméstico, com a mesma voltagem residencial (110v ou 220v). O troféu de melhor carro performance do mundo em 2024 é dele.

Blazer EV

O SUV elétrico já foi visto em testes rodando no Brasil praticamente sem disfarce. O modelo já tinha sido confirmado pela GM para o Brasil e apareceu durante um evento da Anfavea em Brasília (DF). A versão que circula no Brasil tem dois motores que rendem 565 cv de potência e 89,5 kgfm de torque.

Peugeot 2008

A Peugeot deve lançar, em breve, o novo SUV 2008. Desta vez, importado, ele virá da Argentina e será produzido ao lado do novo 208, em El Palomar. O modelo foi flagrado, camuflado, em Pernambuco. O novo 2008 usará a plataforma CMP e terá embaixo do capô um motor 1.0 turbo de 130 cv e 20,4 kgfm de torque. O câmbio será do tipo CVT com simulação de sete marchas.

BMW iX2 e Cooper

O SUV elétrico também é aguardado para o este semestre deste ano para o Brasil. O iX2 xDrive30 é equipado com 2 motores elétricos, que produzem 313 cv de potência, aliado a uma bateria de 64,7 kWh. A autonomia é de até 449 km no ciclo WLTP. Além dele, vem aí o novo Cooper e a Mini está animada em apresentar a renovação completa do compacto elétrico.

BMW X2

A nova geração do X2 será lançada em breve. A segunda geração do SUV cupê compartilha alguns detalhes com o X1, mas com uma personalidade própria. Na versão todo da gama M35i xDrive, o modelo possui tração integral e um motor 2.0 turbo a gasolina que produz 321 cv de potência e 40,8 mkgf de torque. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 5,4 segundos.

Omoda 5

A Omoda | Jaecoo confirmou o lançamento do Omoda 5 no mercado brasileiro em 2024. O modelo, que marcará a estreia da empresa no país, terá uma versão topo de linha equipada com motorização 100% elétrica e outras duas versões híbridas-leve. O Omoda vai disponibilizar tanto uma opção elétrica quanto com motorização híbrida-leve.

Jaecoo J6

O modelo deve perder a letra e mudar a nomenclatura para Jaecoo 6. Já no forno, ele foi apresentado na Tailândia e é baseado no Chery iCar 03. Ainda não se sabe qual versão deve vir. A mais provável tem 279 cv de potência e autonomia próxima dos 470 km no ciclo chinês

Neta GT

O Neta GT é a versão esportiva que tem carroceria cupê e duas portas. O modelo elétrico tem 170 kW de potência (231 cv) e 310 Nm de torque e vai de 0-100 km/h em 6,5 segundos. A velocidade máxima é limitada em 190 km/h. Na autonomia, o carro tem duas configurações de bateria que vão de 550 km a 660 km. O Neta GT dispõe de várias tecnologias, como modos de condução, direção autônoma nível 2 e modo para track day.

Neta S

O cupê esportivo tem quase 5 metros de comprimento. A carroceria larga e o perfil baixo são padrão nas portas esportivas sem moldura. Na potência, ele conta com 170 kW (cerca de 228 cv). O tempo de aceleração de 0-100 km/h é de 8,6 segundos. A velocidade máxima é limitada em 185 km/h.

Neta X

O SUV elétrico tem porte próximo a um VW Tiguan. São 4,62 metros de comprimento e um entre-eixos de 2,77 metros. O porta-malas tem 508 litros de capacidade. No mercado chinês está disponível em cinco cores. Já o interior, pode ser preto ou marrom. Por dentro, tem uma tela gigante e um cluster 100% digital. O acabamento é premium. O volante parece ser grande e conta apenas com dois botões. A potência é de 120 kW (cerca de 160 cv).

Volvo EX90

O modelo deve ser lançado no final do semestre (tenta a Volvo) ou início do próximo ano. O novo EX90 tem autonomia para até 600 quilômetros com uma única carga completa e chega para ficar no lugar do atual XC90 (híbrido plug-in). De acordo com o ciclo de teste WLTP, ele carrega de 10 a 80% em menos de 30 minutos. O padrão de segurança do Volvo EX90 também é maior do que qualquer carro Volvo antes dele. O novo EX90 tem um escudo invisível de segurança habilitado pela tecnologia de sensoriamento, dentro e fora.

* Com informações da coluna de Jorge Moraes no UOL Carros e Auto Ranking




Categorias
História

RAM Classic R\T tem icônico motor V8 e apenas 100 unidades à venda

Poucos elementos do universo automotivo são tão venerados quanto um motor V8. Motivos não faltam: o ronco encorpado e borbulhante que saem pelas bocas do escapamento, a potência caudalosa despejada nas rodas que tentam em vão não derrapar e toda cultura muscle car ao redor desse tipo de propulsor, formado por duas bancadas de quatro cilindros na diagonal.

+ Na JBS você encontra versões da RAM a pronta-entrega. Confira aqui!

Para celebrar o legado do icônico V8 HEMI, a Ram anuncia 100 unidades de uma série mais que especial, a versão R/T para o modelo Classic. Mas antes de apresentar todos os detalhes dessa edição limitada, vamos mergulhar um pouco na linda história da marca e entender onde tudo começou, há mais de um século.

Mais de 100 anos de história

A história de sucesso da marca Dodge teve início em 1914, quando os irmãos John e Horace Dodge produziam e vendiam peças automotivas às montadoras da região de Detroit, Michigan, nos Estados Unidos. Conhecida pela qualidade e confiabilidade das suas peças, a marca que carrega o sobrenome dos irmãos lançou, naquele mesmo ano, seu primeiro carro, o Model 30. Já a produção de veículos comerciais começou em 1917, marcando o nascimento da primeira picape Dodge: a Série 1.

Em 1928, a Dodge foi vendida para o Grupo Chrysler e passou a ser uma divisão da companhia e, em 1932, era lançada a picape Dodge de meia tonelada, apresentando pela primeira vez o icônico símbolo do carneiro montanhês – Ram, em inglês – decorando o capô. Até a década seguinte a marca continuou a oferecer qualidade e veículos cada vez mais capazes, sendo, inclusive, a fornecedora de mais de 20 mil picapes exclusivas para o exército americano durante a Segunda Guerra Mundial. No pós-guerra, nasceu a Power Wagon, a primeira picape média com tração 4X4 para uso civil, que derivava do modelo criado para o combate. Hoje, a tração 4X4 é um atributo quase indispensável nas caminhonetes e está presente em toda a gama de picapes Ram.

As décadas seguintes foram definidas por grandes nomes e marcos. Na década de 1950, houve a primeira aparição do nome Ram e o primeiro motor V8 em uma picape Dodge, a “Red Ram”. Interessante mencionar que desde essa época o V8 da Dodge já era um HEMI®, nome dado a unidade de força cujas câmaras de combustão são hemisféricas. Em 1961, a nova linha de picapes Dodge trouxe a proposta de cabine dupla com quatro portas e um design semelhante ao Dodge Dart da época.

Agora, falando de outro hemisfério, mais especificamente no Brasil, nascia em 1969 a picape mais potente produzida no país, a Dodge D 100. Fabricada pela Chrysler no ABC Paulista, utilizava o mesmo motor do Dodge Dart, um V8 5.2 L de 198 cavalos. A D 100 foi produzida no país até 1975 e ainda há alguns exemplares rodando por aí – ou embelezando as garagens de alguns colecionadores.

De volta ao continente norte-americano, em 1993, foi apresentada a segunda geração da picape Ram 1500, que transformou o segmento full-size nos Estados Unidos e elevou as vendas da marca a níveis inéditos até então. Tamanho sucesso rendeu a esta geração o prêmio “Truck of the Year” da Motor Trend, no mesmo ano. E o design dessa geração da Ram 1500 foi apelidado de “big rig”, em referência às enormes carretas que cruzam as estradas norte- americanas, e cuja grade dianteira em cruz ganhou ainda mais destaque, elevando-se acima dos faróis.

Como força é um dos pilares característicos da Ram, a busca por picapes potentes sempre foi uma máxima da marca. De volta ao Brasil, em 1998, a então Chrysler inaugurava uma planta industrial na cidade de Campo Largo, Paraná, de onde saía uma das picapes mais potentes do mercado e a mais luxuosa, a famosa Dodge Dakota nas configurações básica, com um motor 2.5, e Sport, movida por um 3.9 L V6, ambos a gasolina. Mas nos anos 2000 era a lançada a versão mais apimentada do modelo, a R/T. Equipada com o motor V8 Magnum 5.2 L com 232 cv, era não só a picape mais potente, como o automóvel mais potente produzido no país à época.

Ainda sobre a história dessa marca centenária, em 2009 a Ram deixou de ser a linha de picapes da Dodge e passou a ser uma marca independente. O objetivo da separação era a Ram se especializar no desenvolvimento e produção de veículos comerciais, principalmente picapes, enquanto a Dodge manter seu foco nos muscle cars e esportivos.

Ram Classic R/T

E agora, como forma de homenagem ao icônico motor V8 HEMI®, cujas câmaras de combustão hemisféricas têm mais de 70 anos de tradição e uma enorme legião de fãs, a Ram Classic ganha a versão R/T – de “Road/Track” –, outro símbolo de extremo apelo emocional para os entusiastas. A sigla distingue a gama de carros de alto desempenho usada pela Dodge desde os anos 60.

A Ram Classic R/T valoriza seu caráter esportivo com elementos exclusivos desta última safra, a começar pelos faróis e lanternas com máscara negra. Na dianteira, a exclusiva grade com formato em cruz, característica das picapes Dodge desde o lançamento da segunda geração da Ram 1500 e elemento marcante do design “big rig”, e que traz o carneiro montanhês ao centro, no lugar do nome da marca.

Por trás, colmeias aspiram muito ar para alimentar o enorme motor e um logo R/T no canto inferior adiciona charme a frente imponente da muscle truck. Adesivos foscos que remetem aos Dodges Chargers R/T fabricados pela Chrysler no Brasil nas laterais da caçamba e no capô completam o look da picape de DNA norte americano. Uma soleira em aço inoxidável evoca ainda mais o luxo e esportividade no interior da picape.

Para sublinhar o caráter colecionável da Ram Classic R/T, serão comercializadas apenas 100 unidades – 50 na cor Preto Diamond e 50 no tom Vermelho Flame – que recebem um elegante logo no painel com a estampa do número 1/100, referente ao número limitado das quantidades comercializadas.

Além disso, os felizardos proprietários dessas unidades ainda serão presenteados com um kit super exclusivo, assim como a picape. O kit contém uma caixa metálica de ferramentas e uma pasta de couro com certificado de aquisição com o número do chassi da unidade e uma carta escrita por Juliano Machado, Vice-Presidente da marca Ram para a América do Sul, parabenizando pela compra.

No mais, a picape que é a caminhonete full-size mais acessível do Brasil, entrega muita força, capacidade e conforto para cinco ocupantes adultos, atributos que conquistaram quase 3 mil clientes somente em 2023. Tudo isso com o incomparável motor V8 HEMI® de 5,7 litros, que entrega incríveis 400 cv de potência e 556 Nm de torque, com tecnologia MDS, que desativa quatro dos oito cilindros para reduzir o consumo, e acoplado à caixa automática de oito velocidades TorqueFlite. O volume da caçamba de 1.424 litros e a capacidade de reboque de 3.534 kg demonstram mais uma vez toda a capacidade de uma picape Ram, além da tração 4X4 com reduzida.

Por dentro, muita funcionalidade e comodidade, com a central multimídia Uconnect de 8,4 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay e navegação embarcada, som premium Alpine de 10 alto-falantes com 506 watts de potência, bancos dianteiros aquecidos e ventilados e com comandos elétricos, bancos traseiros rebatíveis e com diversos porta objetos, e muitas outras tecnologias embarcadas. Completam o visual esportivo da picape as rodas de 20 polegadas e o escapamento duplo.

“Uma série mais que especial, na verdade, uma Série Inigualável! Essa edição exclusiva e limitada é a homenagem da Ram a essa picape incrível e a esse V8 que provoca tanta emoção aos amantes dos motores.”, explica Juliano Machado, Vice-Presidente da marca Ram para a América do Sul. “Serão apenas 100 unidades para deixar a Classic na história do mercado. E nada melhor do que uma série chamada R/T para proporcionar esse momento tão especial para a marca”, completou o executivo.

O colecionável modelo marca a despedida da Classic do mercado brasileiro e estará à disposição com preço público sugerido de R$ 359.990 a partir do dia 4 de junho às 10h00 até acabarem os 100 exemplares.

Sucesso de vendas no Brasil, a marca Ram seguirá com seus modelos importados 1500 (também equipado com o motor 5.7L V8 HEMI®), 2500 e 3500 e também com a picape produzida no Brasil, a Rampage. Além da Ram Classic R/T, limitada a 100 unidades, as últimas unidades da Classic Laramie e Laramie Night Edition seguirão disponíveis aos clientes enquanto houver estoque.

Categorias
Corrida

McLaren faz homenagem a Senna com carro especial na corrida de Mônaco

Os brasileiros amantes da Fórmula 1 terão um motivo especial para assistir a corrida deste domingo (26). Não é só porque se trata de uma das corridas mais esperadas da temporada, no icônico GP de Mônaco, mas também por várias homenagens que serão feitas ao eterno herói das pistas, Ayrton Senna, morto em um acidente no Grande Prêmio de San Marino de 1994.

Os carros da McLaren de F1 usarão uma pintura em homenagem a Senna com o azul, amarelo e verde da bandeira brasileira, e a empresa ainda pintou à mão um McLaren Senna em um esquema semelhante. Vale lembrar que Senna ganhou seis vezes o GP de Mônaco, um recorde até hoje.

Como se não bastassem as cores, os logotipos “S” e “Senna” estampados na asa traseira, a McLaren ainda pintou o rosto de Senna nos para-lamas traseiros. No lado do motorista, vemos Senna olhando para longe, enquanto no lado do passageiro, ele está de capacete. O Senna usado é um carro de pré-produção que a McLaren mantém em sua coleção. Além do trabalho exterior, o interior apresenta assentos amarelos e uma citação de Senna e sua assinatura no acabamento da porta. A frase diz: “Não tenho ídolos. Admiro o trabalho, a dedicação e a competência”.

O carro também é adornado por dentro e por fora com todos os números de corrida que os carros de Senna usaram em suas cinco vitórias em Mônaco com a McLaren, conquistadas sucessivamente de 1989 a 1993 – sua vitória em 1987 foi com a Lotus. Se você estiver em Mônaco, primeiro, sorte sua e, segundo, esse Senna estará em exposição durante todo o fim de semana, além da equipe com carros nas cores do Brasil na pista. Portanto, fique de olho.

* Com informações da McLaren F1 e do Motor1

Categorias
Mercado

Blindagem automotiva cresce no Brasil, maior mercado do mundo nesse segmento

Cerca de 300 mil carros blindados circulam pelas ruas brasileiras, o que faz do país o maior mercado do mundo nessa categoria. E a blindagem automotiva está em alta. No ano passado, cerca de 30 mil veículos foram blindados no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin). Os números representam um crescimento de 13% na comparação com o ano de 2022.

+ A JBS tem um show-room exclusivo para carros blindados de alto padrão. Confira o estoque.

Corolla e Hilux, da Toyota, seguem como os modelos mais blindados no país. Na terceira posição está o BMW X1, que é seguido pelo Jeep Commander e Honda Civic (veja o TOP 10 no final da matéria).

Selo de qualidade

Como existe uma diversidade de empresas em atuação no Brasil, o Instituto da Qualidade Automotiva (IQA), em parceria com a Abrablin, lançaram um certificado de qualidade dessas blindagens.

O selo de qualidade deve seguir um padrão confiável para que os consumidores saibam a quem recorrer na hora de realizar uma blindagem. “A certificação aborda a qualidade e conformidade dos materiais balísticos utilizados no processo de blindagem, como manta, aço e vidro balístico, que devem obrigatoriamente possuir a Certificação de Produtos Controlados pelo Exército (PCE)”, ressalta a organização.

Vale pontuar que o IQA atua como certificadora designada pelo Exército do Brasil para conduzir este tipo de avaliação, seguindo as exigências estabelecidas pela Norma Regulamentadora ABNT NBR 15000.

Segundo o gerente de Serviços Automotivos do IQA, Sergio Fabiano, a certificação é voluntária e visa garantir que a empresa forneça um produto que cumpra sua finalidade.

No processo de certificação, a empresa que realiza a blindagem veicular é submetida a uma avaliação abrangente, que engloba desde a sua estrutura física e capacidade de produção até a conformidade com normas de segurança e regulamentações.

Aspectos como o processo de fabricação, disponibilidade de autorização para funcionamento, os equipamentos e tecnologias empregadas, bem como aquisição de materiais balísticos que passaram por testes realizados nos produtos finais para verificar sua resistência balística e outras características de segurança.

Os 10 modelos mais blindados no Brasil:

  1. Toyota Corolla
  2. Toyota Hilux
  3. BMW X1
  4. Jeep Commander
  5. Honda Civic
  6. Jeep Compass
  7. Volkswagen Virtus
  8. Volkswagen T-Cross
  9. Volvo XC60
  10. BMW Série 3
Categorias
Mercado

Eletrificados: Carros ligados na tomada são os preferidos do brasileiro

A eletrificação já ganhou as ruas do Brasil e vários carros elétricos e híbridos já vendem mais do que muitos modelos a combustão. Os três principais tipos de tecnologia de carros eletrificados são híbrido tradicional (HEV), que regenera energia; híbrido plug-in (PHEV), que recarrega na tomada; e o 100% elétrico (BEV).

+ Na JBS você encontra eletrificados de todas as tecnologias e marcas. Veja aqui!

No último mês, os BEV e PHEV representaram 70% das vendas de todos os eletrificados do Brasil. São as duas tecnologias que precisam da tomada para serem recarregados. Foram 10.440 unidades no último mês, sendo 6.508 BEV e 3.932 PHEV. Os 30% restantes (4.766) se dividiram entre os modelos híbridos e híbridos leves (MHEV).

A participação de mercado (market share) dos eletrificados em abril foi de 7,3%, com 15.206 emplacamentos, sobre o total de vendas de autos e comerciais leves (de todas as motorizações) no período, que chegou a 208.078 veículos, segundo a Fenabrave.

Os veículos 100% elétricos (BEV) continuam em ampla ascensão. Com 6.508 emplacamentos em abril, chegaram a 44,1% das vendas de eletrificados do mês – quase a metade do total.

Na comparação com abril de 2023 (565 unidades vendidas), o crescimento dos BEVs foi excepcional: 1.087% em apenas um ano. Os números confirmam que os consumidores estão buscando uma tecnologia mais limpa e sustentável. Em relação a março (6.137), o aumento foi de 9,5%.

Os híbridos plug-in (PHEV) representaram 24,5% dos emplacamentos de eletrificados (3.932). Sobre abril de 2023 (1.162), o crescimento é de 221%, também expressivo. Os híbridos convencionais com motorização flex totalizaram 2.082 emplacamentos em abril, com uma participação de 13,7% sobre o total de eletrificados.

Já as vendas de híbridos HEV movidos apenas a gasolina chegaram a 1.454 unidades (9,6% sobre o total de eletrificados). Eles tiveram um crescimento de 524%, na comparação com abril de 2023 (233). Os veículos híbridos leves MHEV venderam 1.230 unidades, ou 8,1% do total de eletrificados.

Desde abril de 2023, as principais montadoras apresentaram novos modelos híbridos PHEV a gasolina no mercado e contribuíram para que essa tecnologia também ganhasse mercado.

Os cinco eletrificados mais emplacados entre janeiro a abril de 2024 foram:
1º – SONG PLUS / BYD (PHEV) – 6.568
2º – DOLPHIN MINI / BYD (BEV) – 5.637
3º – DOLPHIN / BYD (BEV) – 5.500
4º – HAVAL H6 / GWM (HEV) – 2.331
5º – SEAL AWD / BYD (BEV) – 1.700