Categorias
Supermáquinas

Ferrari inaugura fábrica para produzir carros elétricos

Antes de tudo é bom deixar bem claro: a Ferrari não pretende abandonar os motores a combustão. Dito isso, podemos cravar que a icônica montadora italiana terá no futuro próximo, veículos elétricos e híbridos juntos aos modelos que tanto nos empolgam, “cada um desses motores é capaz de garantir as emoções de direção típicas de uma Ferrari”, ressaltou a Ferrari.

+ Na JBS você encontra o carro dos sonhos, seja elétrico, híbrido ou a combustão. Veja aqui!

E para tirar do papel a primeira Ferrari elétrica, a montadora inaugurou um novo edifício em Maranello (ITA). Trata-se de uma nova fábrica para uma nova abordagem de produção, que foi inaugurada na presença do Presidente da República Italiana Sergio Mattarella, e que entrará em operação gradualmente até o final do ano. O Motor1 conheceu o local e o blog reproduz o que eles viram por lá.

Um retângulo de 25 metros de altura que ocupa uma área de 42.000 metros quadrados e para sua construção foram investidos cerca de 200 milhões de euros. Deixando os números de lado, a nova fábrica se enquadra na definição de Fábrica 4.0 – automatizada, digitalizada e eficiente.

Muitas fábricas novas classificadas dessa forma estão sendo construídas no mundo automotivo, mas o projeto do chamado “e-building” da Ferrari é único, pois estamos falando de uma fábrica capaz de montar qualquer modelo da linha da empresa. Esse último detalhe não é insignificante, principalmente se considerarmos que estamos falando de carros especiais, produzidos em séries limitadas e caracterizados por um nível muito alto de personalização do cliente.

A digitalização total dos processos abre, portanto, novas oportunidades para a Ferrari otimizar a produção, o que deve favorecer a qualidade, a flexibilidade e, portanto, a velocidade de desenvolvimento de novos modelos, dependendo da demanda do cliente e da evolução do processo de transição tecnológica.

E, desse ponto de vista, um dos aspectos mais inovadores é o fato de que, dentro da e-bulding, será possível produzir qualquer modelo da linha Ferrari, da 296 à V12Cilindri, passando pelo SUV Purosangue e pelo Roma e, em seguida, pela futura Ferrari elétrica.

O e-building também inclui um espaço dedicado ao treinamento de funcionários em vista da eletrificação da marca, com foco em motores elétricos, química e processos de baterias, como a montagem. Será o resultado de treinamentos que a Ferrari vem ministrando com os atuais funcionários há dois anos.

A primeira Ferrari elétrica

Como mencionado, o primeiro modelo elétrico da Ferrari será produzido no e-building a partir de 2025. Ainda não se sabe nada oficial em termos de especificações técnicas, mas um aspecto interessante da estratégia de produção foi antecipado: os componentes fundamentais, como o motor (rotor e estator), as baterias de alta-tensão e o eixo serão construídos lá.

A planta inteira terá emissão zero de poluentes. Este é um dos objetivos da Ferrari com a nova linha de montagem. A fábrica atingirá a autossuficiência energética total no próximo ano graças à instalação de 3.000 painéis solares com uma potência total de 1,3 mega-Watts.

A mesma área onde está localizada a nova fábrica foi reformada sem adição de terra, substituindo estruturas industriais antigas, obsoletas e altamente dispersivas em energia, em uma operação que afetou cerca de 100.000 metros quadrados. Os arredores da fábrica serão acessados também por uma estrada de serviço ou por uma ciclovia de 1,5 km.

*Com informações do Motor1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *