Categorias
Mercado

Polestar no Brasil em 2025: o alto padrão elétrico terá novo player

O mercado brasileiro tem atraído os olhares de muitos fabricantes de toda a parte do mundo. Já falamos aqui no blog que muitas marcas chinesas estão desembarcando e tantas outras chegarão até o final de 2025. Dessa vez foi a sueca Polestar, que pertence ao grupo Volvo/Geely, que confirmou que venderá seus carros futuristas em nosso mercado.

+ Na JBS você tem o mais alto padrão automotivo e sem fila de espera. Veja aqui!

Sediada em Gotemburgo, a fabricante vem ganhando espaço no cenário internacional pela comercialização de EVs premium e com pegada esportiva. A chegada ao mercado brasileiro era bastante especulada e foi confirmada em comunicado.

A Polestar explicou em nota que a estreia no Brasil faz parte de ambiciono projeto internacional de expansão e que outros novos mercados também serão alcançados, incluindo França, República Checa, Eslováquia, Hungria, Polônia e Tailândia. Atualmente, a empresa atua em 27 mercados globais espalhados por América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico.

A marca explica que atuará no Brasil e nos demais países estreantes através de parcerias com distribuidores locais. “Expandir as nossas operações com parceiros novos e já existentes nos permitirá alcançar mais clientes. Através destas parcerias e expansão, capitalizaremos a nossa marca e a nossa crescente linha de modelos”, disse Thomas Ingenlath, CEO da Polestar.

O lançamento mais recente da Polestar é o modelo Polestar 4, que fica posicionado entre o sedã Polestar 2 e o maior Polestar 3. O crossover elétrico está disponível em layouts de motor único e duplo, sendo a versão mais potente capaz de produzir 551 cv e 69,9 kgfm de torque máximo. A autonomia chega aos 600 km. Já a configuração de motor único entrega 276 cv e 34,9 kgfm de torque, com alcance declarado de 483 km.

No design, o modelo chama atenção pela ausência da tradicional janela de vidro na traseira. No lugar do vidro, a estrutura da própria carroceria se estende até alcançar o teto, que é feito de vidro fotocrômico. Para não comprometer a visibilidade e, consequentemente, a segurança, a Polestar instalou uma câmera de alta definição no teto que transmite imagens da traseira em tela no painel, tudo em tempo real.

A montadora não deu nenhuma pista de quais modelos serão comercializados no Brasil. Lá fora, os carros da Polestar rivalizam com veículos da Tesla, BMW e Porsche.

Com informações da Polestar e do Motor1

Categorias
Eventos

Retorno do Salão do Automóvel de São Paulo é confirmado pela Anfavea

Os apaixonados por carros no Brasil pediam e a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) atendeu: o maior evento automotivo da América Latina está de volta. O Salão do Automóvel de São Paulo voltará ser realizado, e pode ser ainda neste ano. É o que garantiu Márcio Leite, presidente da Anfavea em entrevista à Rádio Bandeirantes.

+ O show-room dos sonhos da JBS é um verdadeiro “Salão do Automóvel”. Confira aqui.

O Salão do Automóvel não acontece desde 2018 e, segundo Leite, a volta está programada para novembro deste ano ou março de 2025. “Estamos trabalhando uma data, será em São Paulo e será um grande Salão em termos de tecnologia e produtos”, disse o presidente.

“O Brasil precisa retomar o Salão e mostrar as tecnologias que temos para exportação. […] O que nós temos no Brasil e os planos futuros e utilização de biocombustíveis”, acrescentou.

Último Salão do Automóvel de São Paulo foi realizado em 2018. Fotos: Divulgação

Vale lembrar que em abril deste ano, Márcio Leite já comentava sobre a volta da exposição. Durante a inauguração do novo prédio Anfavea, ele falou sobre a volta do Salão do Automóvel.

“Estamos avaliando questões de espaço e logística, mas o salão do automóvel vai acontecer. Não temos data ainda definida, mas, sem dúvida, é uma cobrança legítima do presidente [Lula], nós precisamos ter ousadia para expor as nossas tecnologias para os consumidores e também para o mundo de uma forma geral”, ressaltou na época.

Salão de 2018
A 30ª edição recebeu cerca de 700 mil pessoas e contou com exposição de mais de 20 fabricantes. Durante os 11 dias do SDA, houve palestras sobre os carros eletrificados, carros conectados e mais.

Segundo a organização do evento, em 2018, houve 66 lançamentos, 1.200 atividades interativas e 45 mil test-drives realizados na área externa do evento.

Categorias
História

RAM Classic R\T tem icônico motor V8 e apenas 100 unidades à venda

Poucos elementos do universo automotivo são tão venerados quanto um motor V8. Motivos não faltam: o ronco encorpado e borbulhante que saem pelas bocas do escapamento, a potência caudalosa despejada nas rodas que tentam em vão não derrapar e toda cultura muscle car ao redor desse tipo de propulsor, formado por duas bancadas de quatro cilindros na diagonal.

+ Na JBS você encontra versões da RAM a pronta-entrega. Confira aqui!

Para celebrar o legado do icônico V8 HEMI, a Ram anuncia 100 unidades de uma série mais que especial, a versão R/T para o modelo Classic. Mas antes de apresentar todos os detalhes dessa edição limitada, vamos mergulhar um pouco na linda história da marca e entender onde tudo começou, há mais de um século.

Mais de 100 anos de história

A história de sucesso da marca Dodge teve início em 1914, quando os irmãos John e Horace Dodge produziam e vendiam peças automotivas às montadoras da região de Detroit, Michigan, nos Estados Unidos. Conhecida pela qualidade e confiabilidade das suas peças, a marca que carrega o sobrenome dos irmãos lançou, naquele mesmo ano, seu primeiro carro, o Model 30. Já a produção de veículos comerciais começou em 1917, marcando o nascimento da primeira picape Dodge: a Série 1.

Em 1928, a Dodge foi vendida para o Grupo Chrysler e passou a ser uma divisão da companhia e, em 1932, era lançada a picape Dodge de meia tonelada, apresentando pela primeira vez o icônico símbolo do carneiro montanhês – Ram, em inglês – decorando o capô. Até a década seguinte a marca continuou a oferecer qualidade e veículos cada vez mais capazes, sendo, inclusive, a fornecedora de mais de 20 mil picapes exclusivas para o exército americano durante a Segunda Guerra Mundial. No pós-guerra, nasceu a Power Wagon, a primeira picape média com tração 4X4 para uso civil, que derivava do modelo criado para o combate. Hoje, a tração 4X4 é um atributo quase indispensável nas caminhonetes e está presente em toda a gama de picapes Ram.

As décadas seguintes foram definidas por grandes nomes e marcos. Na década de 1950, houve a primeira aparição do nome Ram e o primeiro motor V8 em uma picape Dodge, a “Red Ram”. Interessante mencionar que desde essa época o V8 da Dodge já era um HEMI®, nome dado a unidade de força cujas câmaras de combustão são hemisféricas. Em 1961, a nova linha de picapes Dodge trouxe a proposta de cabine dupla com quatro portas e um design semelhante ao Dodge Dart da época.

Agora, falando de outro hemisfério, mais especificamente no Brasil, nascia em 1969 a picape mais potente produzida no país, a Dodge D 100. Fabricada pela Chrysler no ABC Paulista, utilizava o mesmo motor do Dodge Dart, um V8 5.2 L de 198 cavalos. A D 100 foi produzida no país até 1975 e ainda há alguns exemplares rodando por aí – ou embelezando as garagens de alguns colecionadores.

De volta ao continente norte-americano, em 1993, foi apresentada a segunda geração da picape Ram 1500, que transformou o segmento full-size nos Estados Unidos e elevou as vendas da marca a níveis inéditos até então. Tamanho sucesso rendeu a esta geração o prêmio “Truck of the Year” da Motor Trend, no mesmo ano. E o design dessa geração da Ram 1500 foi apelidado de “big rig”, em referência às enormes carretas que cruzam as estradas norte- americanas, e cuja grade dianteira em cruz ganhou ainda mais destaque, elevando-se acima dos faróis.

Como força é um dos pilares característicos da Ram, a busca por picapes potentes sempre foi uma máxima da marca. De volta ao Brasil, em 1998, a então Chrysler inaugurava uma planta industrial na cidade de Campo Largo, Paraná, de onde saía uma das picapes mais potentes do mercado e a mais luxuosa, a famosa Dodge Dakota nas configurações básica, com um motor 2.5, e Sport, movida por um 3.9 L V6, ambos a gasolina. Mas nos anos 2000 era a lançada a versão mais apimentada do modelo, a R/T. Equipada com o motor V8 Magnum 5.2 L com 232 cv, era não só a picape mais potente, como o automóvel mais potente produzido no país à época.

Ainda sobre a história dessa marca centenária, em 2009 a Ram deixou de ser a linha de picapes da Dodge e passou a ser uma marca independente. O objetivo da separação era a Ram se especializar no desenvolvimento e produção de veículos comerciais, principalmente picapes, enquanto a Dodge manter seu foco nos muscle cars e esportivos.

Ram Classic R/T

E agora, como forma de homenagem ao icônico motor V8 HEMI®, cujas câmaras de combustão hemisféricas têm mais de 70 anos de tradição e uma enorme legião de fãs, a Ram Classic ganha a versão R/T – de “Road/Track” –, outro símbolo de extremo apelo emocional para os entusiastas. A sigla distingue a gama de carros de alto desempenho usada pela Dodge desde os anos 60.

A Ram Classic R/T valoriza seu caráter esportivo com elementos exclusivos desta última safra, a começar pelos faróis e lanternas com máscara negra. Na dianteira, a exclusiva grade com formato em cruz, característica das picapes Dodge desde o lançamento da segunda geração da Ram 1500 e elemento marcante do design “big rig”, e que traz o carneiro montanhês ao centro, no lugar do nome da marca.

Por trás, colmeias aspiram muito ar para alimentar o enorme motor e um logo R/T no canto inferior adiciona charme a frente imponente da muscle truck. Adesivos foscos que remetem aos Dodges Chargers R/T fabricados pela Chrysler no Brasil nas laterais da caçamba e no capô completam o look da picape de DNA norte americano. Uma soleira em aço inoxidável evoca ainda mais o luxo e esportividade no interior da picape.

Para sublinhar o caráter colecionável da Ram Classic R/T, serão comercializadas apenas 100 unidades – 50 na cor Preto Diamond e 50 no tom Vermelho Flame – que recebem um elegante logo no painel com a estampa do número 1/100, referente ao número limitado das quantidades comercializadas.

Além disso, os felizardos proprietários dessas unidades ainda serão presenteados com um kit super exclusivo, assim como a picape. O kit contém uma caixa metálica de ferramentas e uma pasta de couro com certificado de aquisição com o número do chassi da unidade e uma carta escrita por Juliano Machado, Vice-Presidente da marca Ram para a América do Sul, parabenizando pela compra.

No mais, a picape que é a caminhonete full-size mais acessível do Brasil, entrega muita força, capacidade e conforto para cinco ocupantes adultos, atributos que conquistaram quase 3 mil clientes somente em 2023. Tudo isso com o incomparável motor V8 HEMI® de 5,7 litros, que entrega incríveis 400 cv de potência e 556 Nm de torque, com tecnologia MDS, que desativa quatro dos oito cilindros para reduzir o consumo, e acoplado à caixa automática de oito velocidades TorqueFlite. O volume da caçamba de 1.424 litros e a capacidade de reboque de 3.534 kg demonstram mais uma vez toda a capacidade de uma picape Ram, além da tração 4X4 com reduzida.

Por dentro, muita funcionalidade e comodidade, com a central multimídia Uconnect de 8,4 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay e navegação embarcada, som premium Alpine de 10 alto-falantes com 506 watts de potência, bancos dianteiros aquecidos e ventilados e com comandos elétricos, bancos traseiros rebatíveis e com diversos porta objetos, e muitas outras tecnologias embarcadas. Completam o visual esportivo da picape as rodas de 20 polegadas e o escapamento duplo.

“Uma série mais que especial, na verdade, uma Série Inigualável! Essa edição exclusiva e limitada é a homenagem da Ram a essa picape incrível e a esse V8 que provoca tanta emoção aos amantes dos motores.”, explica Juliano Machado, Vice-Presidente da marca Ram para a América do Sul. “Serão apenas 100 unidades para deixar a Classic na história do mercado. E nada melhor do que uma série chamada R/T para proporcionar esse momento tão especial para a marca”, completou o executivo.

O colecionável modelo marca a despedida da Classic do mercado brasileiro e estará à disposição com preço público sugerido de R$ 359.990 a partir do dia 4 de junho às 10h00 até acabarem os 100 exemplares.

Sucesso de vendas no Brasil, a marca Ram seguirá com seus modelos importados 1500 (também equipado com o motor 5.7L V8 HEMI®), 2500 e 3500 e também com a picape produzida no Brasil, a Rampage. Além da Ram Classic R/T, limitada a 100 unidades, as últimas unidades da Classic Laramie e Laramie Night Edition seguirão disponíveis aos clientes enquanto houver estoque.

Categorias
Corrida

McLaren faz homenagem a Senna com carro especial na corrida de Mônaco

Os brasileiros amantes da Fórmula 1 terão um motivo especial para assistir a corrida deste domingo (26). Não é só porque se trata de uma das corridas mais esperadas da temporada, no icônico GP de Mônaco, mas também por várias homenagens que serão feitas ao eterno herói das pistas, Ayrton Senna, morto em um acidente no Grande Prêmio de San Marino de 1994.

Os carros da McLaren de F1 usarão uma pintura em homenagem a Senna com o azul, amarelo e verde da bandeira brasileira, e a empresa ainda pintou à mão um McLaren Senna em um esquema semelhante. Vale lembrar que Senna ganhou seis vezes o GP de Mônaco, um recorde até hoje.

Como se não bastassem as cores, os logotipos “S” e “Senna” estampados na asa traseira, a McLaren ainda pintou o rosto de Senna nos para-lamas traseiros. No lado do motorista, vemos Senna olhando para longe, enquanto no lado do passageiro, ele está de capacete. O Senna usado é um carro de pré-produção que a McLaren mantém em sua coleção. Além do trabalho exterior, o interior apresenta assentos amarelos e uma citação de Senna e sua assinatura no acabamento da porta. A frase diz: “Não tenho ídolos. Admiro o trabalho, a dedicação e a competência”.

O carro também é adornado por dentro e por fora com todos os números de corrida que os carros de Senna usaram em suas cinco vitórias em Mônaco com a McLaren, conquistadas sucessivamente de 1989 a 1993 – sua vitória em 1987 foi com a Lotus. Se você estiver em Mônaco, primeiro, sorte sua e, segundo, esse Senna estará em exposição durante todo o fim de semana, além da equipe com carros nas cores do Brasil na pista. Portanto, fique de olho.

* Com informações da McLaren F1 e do Motor1

Categorias
Mercado

Blindagem automotiva cresce no Brasil, maior mercado do mundo nesse segmento

Cerca de 300 mil carros blindados circulam pelas ruas brasileiras, o que faz do país o maior mercado do mundo nessa categoria. E a blindagem automotiva está em alta. No ano passado, cerca de 30 mil veículos foram blindados no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin). Os números representam um crescimento de 13% na comparação com o ano de 2022.

+ A JBS tem um show-room exclusivo para carros blindados de alto padrão. Confira o estoque.

Corolla e Hilux, da Toyota, seguem como os modelos mais blindados no país. Na terceira posição está o BMW X1, que é seguido pelo Jeep Commander e Honda Civic (veja o TOP 10 no final da matéria).

Selo de qualidade

Como existe uma diversidade de empresas em atuação no Brasil, o Instituto da Qualidade Automotiva (IQA), em parceria com a Abrablin, lançaram um certificado de qualidade dessas blindagens.

O selo de qualidade deve seguir um padrão confiável para que os consumidores saibam a quem recorrer na hora de realizar uma blindagem. “A certificação aborda a qualidade e conformidade dos materiais balísticos utilizados no processo de blindagem, como manta, aço e vidro balístico, que devem obrigatoriamente possuir a Certificação de Produtos Controlados pelo Exército (PCE)”, ressalta a organização.

Vale pontuar que o IQA atua como certificadora designada pelo Exército do Brasil para conduzir este tipo de avaliação, seguindo as exigências estabelecidas pela Norma Regulamentadora ABNT NBR 15000.

Segundo o gerente de Serviços Automotivos do IQA, Sergio Fabiano, a certificação é voluntária e visa garantir que a empresa forneça um produto que cumpra sua finalidade.

No processo de certificação, a empresa que realiza a blindagem veicular é submetida a uma avaliação abrangente, que engloba desde a sua estrutura física e capacidade de produção até a conformidade com normas de segurança e regulamentações.

Aspectos como o processo de fabricação, disponibilidade de autorização para funcionamento, os equipamentos e tecnologias empregadas, bem como aquisição de materiais balísticos que passaram por testes realizados nos produtos finais para verificar sua resistência balística e outras características de segurança.

Os 10 modelos mais blindados no Brasil:

  1. Toyota Corolla
  2. Toyota Hilux
  3. BMW X1
  4. Jeep Commander
  5. Honda Civic
  6. Jeep Compass
  7. Volkswagen Virtus
  8. Volkswagen T-Cross
  9. Volvo XC60
  10. BMW Série 3
Categorias
Mercado

Eletrificados: Carros ligados na tomada são os preferidos do brasileiro

A eletrificação já ganhou as ruas do Brasil e vários carros elétricos e híbridos já vendem mais do que muitos modelos a combustão. Os três principais tipos de tecnologia de carros eletrificados são híbrido tradicional (HEV), que regenera energia; híbrido plug-in (PHEV), que recarrega na tomada; e o 100% elétrico (BEV).

+ Na JBS você encontra eletrificados de todas as tecnologias e marcas. Veja aqui!

No último mês, os BEV e PHEV representaram 70% das vendas de todos os eletrificados do Brasil. São as duas tecnologias que precisam da tomada para serem recarregados. Foram 10.440 unidades no último mês, sendo 6.508 BEV e 3.932 PHEV. Os 30% restantes (4.766) se dividiram entre os modelos híbridos e híbridos leves (MHEV).

A participação de mercado (market share) dos eletrificados em abril foi de 7,3%, com 15.206 emplacamentos, sobre o total de vendas de autos e comerciais leves (de todas as motorizações) no período, que chegou a 208.078 veículos, segundo a Fenabrave.

Os veículos 100% elétricos (BEV) continuam em ampla ascensão. Com 6.508 emplacamentos em abril, chegaram a 44,1% das vendas de eletrificados do mês – quase a metade do total.

Na comparação com abril de 2023 (565 unidades vendidas), o crescimento dos BEVs foi excepcional: 1.087% em apenas um ano. Os números confirmam que os consumidores estão buscando uma tecnologia mais limpa e sustentável. Em relação a março (6.137), o aumento foi de 9,5%.

Os híbridos plug-in (PHEV) representaram 24,5% dos emplacamentos de eletrificados (3.932). Sobre abril de 2023 (1.162), o crescimento é de 221%, também expressivo. Os híbridos convencionais com motorização flex totalizaram 2.082 emplacamentos em abril, com uma participação de 13,7% sobre o total de eletrificados.

Já as vendas de híbridos HEV movidos apenas a gasolina chegaram a 1.454 unidades (9,6% sobre o total de eletrificados). Eles tiveram um crescimento de 524%, na comparação com abril de 2023 (233). Os veículos híbridos leves MHEV venderam 1.230 unidades, ou 8,1% do total de eletrificados.

Desde abril de 2023, as principais montadoras apresentaram novos modelos híbridos PHEV a gasolina no mercado e contribuíram para que essa tecnologia também ganhasse mercado.

Os cinco eletrificados mais emplacados entre janeiro a abril de 2024 foram:
1º – SONG PLUS / BYD (PHEV) – 6.568
2º – DOLPHIN MINI / BYD (BEV) – 5.637
3º – DOLPHIN / BYD (BEV) – 5.500
4º – HAVAL H6 / GWM (HEV) – 2.331
5º – SEAL AWD / BYD (BEV) – 1.700

Categorias
Notícia

Maio Amarelo é tempo de conscientização no trânsito; veja dicas de segurança

Novas tecnologias semiautônomas de assistência ao motorista têm ajudado muita gente a evitar pequenas colisões e até acidentes mais graves. Mas como no Brasil esse tipo de tecnologia está presente em um percentual muito baixo de veículos, a conscientização ainda é a melhor medida para evitar acidentes no trânsito. Afinal, mais de 5 mil pessoas morrem todos os anos apenas nas rodovias federais do Brasil, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal.

O Maio Amarelo chega para mobilizar a sociedade a favor de um trânsito mais seguro. Tema também da campanha da Senatran (Secretaria Nacional de Trânsito), o Maio Amarelo busca chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito, buscando a conscientização e a paz nas vias.

O Maio Amarelo é um movimento global que busca salvar vidas e promover uma mudança cultural em relação ao comportamento nas vias. A cor amarela foi escolhida por representar atenção e alerta, princípios fundamentais para a prevenção de acidentes.

Durante todo o mês de maio, diversas ações são realizadas em todo o mundo para sensibilizar a população sobre a importância de respeitar as leis de trânsito, praticar a direção defensiva, utilizar os equipamentos de segurança corretamente e, acima de tudo, valorizar a vida.

Confira dicas importantes de segurança no trânsito:

1 – Sinalizações

 Foto: Freepik

Placas, semáforos e marcações nas vias são projetados para orientar e controlar o fluxo de veículos, garantindo a segurança não apenas dos motoristas e motociclistas, mas também dos pedestres e ciclistas. Ignorar as sinalizações aumenta a probabilidade de colisões e acidentes. Além de colocar em risco a vida de quem está dirigindo e das outras pessoas nas ruas, não respeitar as sinalizações e as leis pode resultar em multas gravíssimas conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

2 – Direção e celular

Foto: Freepik

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que o uso do smartphone aumenta em 400% o risco de sinistros no trânsito. Dados da Associação Brasileira de Medicina do Trafego (Abramet) mostram que 70% dos motoristas acreditam que direção e telefone celular não combinam, mas somente 20% se privam dessa prática.

Usar o celular ao volante faz com que o condutor perca o campo de visão de 360º que se deve ter com o auxílio do espelho retrovisor, alterando a sua concentração no trânsito. Além disso, no Brasil se qualifica como uma infração gravíssima.

3 – Cinto de segurança

Foto: Freepik

Um dos itens mais importantes no veículo, o cinto de segurança é acessório obrigatório, mas ainda desprezado por muitos motoristas e passageiros imprudentes, e deve ser usado também pelos passageiros que estão no banco de trás, onde há risco de ser lançado para fora do veículo em caso de colisão.

Dados da Abramet mostram que esse equipamento reduz em até 60% o risco de morte e ferimentos graves para passageiros nos bancos da frente, e em até 44% para ocupantes dos bancos de trás de veículos envolvidos em sinistros de trânsito.

* Com informações do Denatran e Auto Ranking

Categorias
História

Honda NSX de Ayrton Senna está à venda por R$ 3,1 milhões

Tudo que é ligado a Ayrton Senna tem um valor histórico para nós brasileiros e alguns itens que passaram pelas mãos do tricampeão da F1 são fortemente disputados por colecionadores de todo o mundo. Imagina então ter um carro que foi desenvolvido com a ajuda do eterno ídolo das pistas?

Pois é, o icônico Honda NSX que Senna ganhou da marca japonesa, na época fornecedora de motores da McLaren, está à venda por nada menos que 500 mil libras, o equivalente a R$ 3,1 milhões. Senna ajudou no desenvolvimento do superesportivo e chegou a testá-lo, no início da década de 1990, no Circuito de Suzuka no Japão.

+ Encontre o carro dos seus sonhos no show-room da JBS Motors

Originalmente, o esportivo foi registrado em 1991 em Portugal. O Auto Trader, site britânico de compra e venda de veículos on-line, anunciou que o atual proprietário do carro anunciou este carro por lá.

O Honda NSX foi a primeira tentativa da marca de fazer um supercarro de motor central capaz de rivalizar com modelos da Ferrari na época, por exemplo. Ele trazia atrás dos bancos um 3.0 V6 aspirado e capaz de entregar 283 cv de potência e câmbio manual, como no carro de Senna, que corria para a equipe McLaren Honda entre 1988 e 1993.

O então piloto da McLaren usava o carro durante suas estadias na residência em Algarve, Portugal. O modelo está sendo vendido por seu atual dono, que adquiriu o veículo em sua primeira venda há 11 anos, em 2013. Na ocasião, o Honda NSX de Senna foi comprado por 110 mil libras, cerca de R$ 701 mil na cotação atual.

O Honda NSX vermelho de Senna, que acaba de ser colocado à venda e atualmente propriedade de Robert McFagan, é o carro NSX que foi mantido em sua casa portuguesa enquanto ele estava no país e ele foi fotografado lavando o carro em 1991. Senna também possuía outros dois NSX, um pessoal preto no Brasil e outro NSX preto comprado para ele por seu empresário Antonio Braga.

O mesmo NSX será também exibido na Exposição Senna no Circuito de Silverstone, evento que será organizado na pista-sede do GP da Inglaterra de F1 em homenagem aos 30 anos da morte do piloto, de 23 a 25 de agosto.

* Com informações do GE e do Motor 1

Categorias
História

Ícone das pistas: Ford lança edição especial de 60 anos do Mustang

A Ford comemorou oficialmente no dia 17 de abril os 60 anos do Mustang, com várias ações ao redor do mundo. Nos Estados Unidos, a grande novidade é o lançamento da edição limitada 60th Anniversary, com 1.965 unidades, homenageando o primeiro ano-modelo oficial do veículo, de 1965.

+ Na JBS você encontra grandes ícones das pistas para a sua garagem

A edição limitada de 60º aniversário do Mustang tem como base o modelo GT Premium 2025, com motor V8 5.0. Ela estará disponível nas versões cupê e conversível, com transmissão manual ou automática, a partir do segundo semestre nos Estados Unidos, quando também será anunciado o seu preço.

O esportivo traz emblemas exclusivos de 60º aniversário nos para-lamas e na tampa do porta-malas. As rodas de 20 polegadas também são exclusivas, com acabamento em cinza escuro, detalhes usinados brilhantes e uma tampa central vermelha de alumínio de estilo retrô.

O Mustang 60th Anniversary terá três opções de cores: o clássico branco Wimbledon e as modernas vermelho Race e azul Vapor, com faixas laterais em prata Iconic ou vermelho Vermillion. O interior pode vir nas tonalidades cinza Space, vermelho Carmine ou preto Onyx, com um emblema personalizado e número de série gravado no painel.

A grade dianteira com design exclusivo remete ao original de 1964, modernizada com molduras das entradas de ar em prata. Os faróis ganharam contornos fumê que destacam seus elementos internos prateados. As capas dos retrovisores são prateadas nos modelos vermelho Race e azul Vapor, fazendo referência aos espelhos cromados de antigamente, e são na cor da carroceria nos modelos branco Wimbledon.

“Na criação dessa série especial, observamos atentamente todos os detalhes do Mustang 1965 para capturar a sua sensação, como os emblemas dos para-lamas e as tampas centrais das rodas. Ao mesmo tempo, nos mantivemos fiéis ao Mustang como o carro esportivo moderno que ele é”, diz Stefan Taylor, designer sênior da Ford.

Campanha

No Brasil, a Ford lançou o Mustang GT Performance de sétima geração em março e vendeu todas as 150 unidades disponíveis em uma hora. Hoje, a marca estreia a campanha publicitária do modelo, que também é inspirada nos 60 anos do ícone.

O filme foi criado pela agência Wieden+Kennedy SP, para exibição também em outros mercados da América do Sul. Inspirado em grandes clássicos do cinema, ele mostra o novo Mustang entrando em um galpão de carros antigos, onde ele “desperta” a sua primeira versão, de 1964. Juntos, eles encenam uma “dança” dentro do ambiente, com manobras de drift feitas com a ajuda da piloto profissional chilena Milenka Cvitanovic.

Além do filme principal de 45 segundos, rodado na Estación Mapocho, em Santiago do Chile, a campanha terá versões de 30”, 15” e 6” para veiculação na TV e digital. Ela inclui ainda versões para as redes sociais, com making off, entrevistas exclusivas e curiosidades de todo o processo.

Poucos carros no mundo têm uma história como a do Mustang, com seis décadas de produção contínua, e podem ser chamados de ícone. Ele tornou-se um símbolo de desempenho, de estilo de vida e do espírito de liberdade, atributos que são homenageados nessa produção”, diz Marcel Bueno, diretor de Marketing da Ford América do Sul.

Categorias
Mercado

Veja quais marcas e carros dominam o mercado de eletrificados no Brasil

O final do primeiro trimestre de 2024 escancarou a disputa pelo segmento que mais cresce no mercado automotivo brasileiro. Foram mais de 35 mil carros eletrificados vendidos no país entre janeiro e março deste ano, um aumento de mais de 144% em relação ao mesmo período de 2023.

BYD e Toyota dominam o mercado dos eletrificados no Brasil e se distanciam de seus concorrentes. Enquanto a tradicional montadora japonesa lidera entre os híbridos, a gigante e inovadora marcha chinesa se isola cada vez mais entre os 100% elétricos.

Quem corre por fora nessa briga é a GWM, que tem bons números tanto entre os híbridos com o Haval, como entre os elétricos com o ORA 03.

Na Toyota, os híbridos (HEV) da família Corolla lideram o mercado com pouco mais de 5 mil unidades emplacadas no ano. Mas, se olharmos apenas para um tipo de carroceria, o líder do segmento é BYD Song Plus (PHEV) com 4.870 unidades vendidas no trimestre. O GWM Haval H6 (HEV e PHEV) tem 3.843 vendas.

BYD Song Plus no show-room da JBS Motors do Pina

Já entre os BEVs, os 100% elétricos, o domínio da BYD impressiona. A marca chinesa já vendeu nada menos que 10.052 unidades, sendo o Dolphin o mais emplacado (5.332 unidades), seguido do irmão menor, o Dolphin Mini com 2.494 vendas no seu pouco tempo de mercado.

Acompanhe baixo os números do acumulado de vendas das marcas nos segmentos dos elétricos e híbridos.

* Fonte: Fenabrave